terça-feira, 13 de dezembro de 2011

O Tempo

Quanto tempo nos é destinado viver na Terra? Ninguém sabe, pois cada um tem seu tempo necessário para aqui trabalhar, estudar, conviver, evoluir.

É crueldade de Deus arrancar dos braços de uma mãe uma criança inocente e pura e dar-lhe a morte como castigo? É claro que não, pois a morte não é, nunca foi e nunca será castigo, a morte é a libertação do espírito preso ao corpo material, é o livramento da doença que causava dores, é o fim de uma encarnação no meio de pessoas  violentas, interesseiras, é poupar um espírito de sofrer aquilo que não precisa sofrer.

Quando Deus nos chama de volta, é por um bom motivo. Retornar a pátria amada, ao plano espiritual e voltar a viver entre os espíritos sábios e iluminados é uma benção. Ora, quem somos nós para dizermos que a vida na carne e no sofrimento é melhor do que viver ao lado dos seres iluminados que Deus criou?

Quando o filho retorna é porque seu tempo aqui terminou, volta para se recuperar dos desgastes sofridos pela vida material, para absorver o que de bom aprendeu.

Mas e a mãe, esta que tanto sofre a perda de seu bebê? A mãe que tanto sofre, sofre por engano, pois ela deveria se alegrar de saber que Deus poupou seu filho de viver no meio do sofrimento, dos ataques de guerras, das ofertas de drogas, das más inclinações proporcionadas por essa ambiente tão pesado que é o do mundo material. Além do mais, a mãe não se encontra afastada de seu filho para sempre, pois este pode voltar e abraçar carinhosamente sua mãe, assim é permitido a todo aquele que age com amor para com o próximo.

A mãe que sofre e chora a perda do filho, não sabe, mas ao fazer isso o prejudica, deixando-o triste e enviando-lhe seu próprio sofrimento. A mãe espírita que compreende que a morte física é apenas uma passagem para um lugar melhor, ora e pede com amor que Deus acolha seu filho, fazendo assim o maior bem que o amor pode fazer por alguém.

Deus é justo em todos os seus atos, não duvideis do que o Pai escolheu para ti, mas aceitai e prossegui com fé e amor sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário