sábado, 24 de dezembro de 2011

Tudo O Que É De Mais Faz Mal

O exagero nos leva a compreender que nem sempre ter muito de algo significa ser algo bom e proveitoso.
Aquele que tem fome sonha em ter todo o alimento do mundo, mas o que ele faria se o tivesse? Conseguiria comer tudo antes que estragasse? Conseguiria compartilhar com todos?

Aquele que é só queria ter todos os amigos e amores do mundo. Mas o que ele faria se o tivesse? Conseguiria amar a todos ao mesmo tempo? Daria conta de dar atenção a todos? De presentear todos?

O excesso nos é exemplo de egoísmo, pois desejar muito é querer mais para si e menos para o próximo. Cada um de nós tem a sua quantidade necessária de cada coisa, de cada sentimento.

Se tens sede, basta-lhe tomar um ou dois copos d'água para matá-la, de nada adiantaria ter 20 litros e não aguentar tomá-lo naquele instante, até porque se o tentar fazer irás morrer pelo excesso ingerido.

Ai você deve estar se perguntando, amor nunca é demais, paz nunca é demais, alegria nunca é demais. Aquele que recebe amor em excesso não aprende a lição mais importante que só pode ser aprendida quando houver a falta dele, a de valorizar a quem se ama. Aquele que tem paz em excesso não aprende a lição de dar valor a paz que possui e não aprende a respeitar a paz do próximo pois terá tanta paz que pouco lhe importa o que acontece às outras pessoas. Aquele que tem alegria em excesso acaba por importunar o seu vizinho que por mais que goste de alegria vê no excesso a baderna.

Dinheiro demais também causa problemas, causa impostos altos, causa dificuldades em gerenciar o rendimento, causa inveja de quem não tem nada, causa saudades dos tempos em que era pobre mas era simples.

Evitemos os excessos da vida e aceitemos que cada um tem a sua quota de cada coisa a ser recebida. Deus provê a cada um de nós exatamente aquilo que precisamos para prosseguir na vida, não te queixes da falta, mas agradeças o que tu tens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário