quinta-feira, 22 de março de 2012

Só Há um Caminho?

O hinduísta Mahatma Gandhi nos ensinou:
Se, porém, houver alguma suspeita em sua mente de que apenas uma religião pode ser a verdadeira e todas as outras são falsas, você pode rejeitar a doutrina da fraternidade. Então, estaremos alimentando um processo contínuo de exclusão e fundando a nossa fraternidade sobre alicerces de exclusivismos (apud ELSBERG, 1996, p. 128)
 
A idéia do exclusivismo de que somente pode haver um caminho é um erro. Por mais que o texto do evangelista João nos diga na bíblia que Jesus é "o caminho, a verdade, a vida e  ninguém vem ao Pai senão por mim", dificilmente podemos acreditar que Jesus teria dito isso.


Jesus jamais excluiria as religiões até porque ele não pregou nennhuma, somente ensinou amor e caridade. Ele jamais se julgaria acima de todos para dizer que somente ele é o caminho, o fato é que o Jesus histórico, o verdadeiro Jesus, era humilde o bastante para apresentar um caminho de amor e caridade, mas não orgulhoso o bastante para se dizer ser o único caminho.


Se hoje, uma determinada doutrina se julgar sendo o único caminho pelo qual você é capaz de chegar à Deus, então essa doutrina estará excluindo todas as demais de encontrar esse caminho e auxiliar o seu próximo.


Vejamos o caso do Catolicismo, onde durante anos se alegou que "fora da igreja não há salvação", nesse caso bilhões de pessoas que morreram e não foram católicas seriam então jogadas no inferno. Deus não é cruel tal como estes textos apresentam. A religião não nos traz 100% a verdade até porque nosso próprio idioma não tem condições de explicar a verdade sobre Deus devido à carência de palavras.


O evangélico costuma se julgar acima de todos e apresentar Jesus como o único caminho, infelizmente um erro grave. Único, não é, mas um ótimo caminho é. Há muitos líderes religiosos capazes de compartilhar amor e paz, de apresentar um caminho de evolução para a humanidade, excluí-los desse meio é o mesmo que ser orgulhoso e apresentar Jesus como a única saída.

Entre os homens deve haver igualdade, entre as religiões, deve haver a caridade em comum, entre os líderes religiosos, deve haver sabedoria.

Nessa mesma linha de pensamento, tem muita razão o Espírito São Luís, ao dar a Allan Kardec a seguinte instrução: “Desconfiai dos que pretendem estar na posse da exclusiva e única verdade” (KARDEC, O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. 21, n. 8).

Nenhum comentário:

Postar um comentário