quinta-feira, 12 de julho de 2012

Perdão



  A alma pura e generosa exibe paz e harmonia, serenidade e confiança, pratica a caridade por meio do perdão e mostra-se assim, elevada.
  A alma materialista ainda perdida no orgulho, no ódio, no sofrimento interno, tende a ser rigorosa, a guardar mágoas, a não perdoar.
  O verdadeiro perdão não ocorre apenas por palavras, mas sim pelo coração. Perdoar é não guardar mágoas, é aceitar as imperfeições daquele que te feriu. Perdoar é compreender que só se fere aquele que esperava mais de quem pouco podia lhe dar.
  Não nos basta perdoar uma, duas ou três vezes, mas devemos perdoar sempre, não no sentido de sermos coniventes com os erros do outro, mas no sentido de não guardarmos o remorso. Quando teu irmão errar para contigo, vai e resolve o problema entre você e ele somente, mostre que o amor de Jesus foi exemplo entre os homens e que precisa ser compreendido e seguido.
  Quem além de perdoar, auxilia seu irmão a se esforçar para controlar e eliminar suas imperfeições, faça mais do que o seu limite para ajudar, pois estará fazendo exatamente aquilo que gostaria que lhe fizessem. Ora, qual de nós não errou na vida? Qual de nós nunca pediu perdão? Qual de nós não ficou mais triste ainda quando não foi perdoado?
  Se a oportunidade de perdoar e auxiliar lhe surgir, aproveite-a, pois ela é um infalível meio de se evoluir espiritualmente conforme os ensinamentos de Jesus Cristo.
  Nunca perdoe para se exibir, pois se o fizer, somente estará mostrando-se orgulhoso e com isso nada de bom trará para si e nem para os que vêem o teu exemplo. O perdão deve surgir do sentimento sublime e eterno chamado amor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário