quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

A Metamorfose da Humanidade


  Não há borboleta no mundo que não tenha passado pela transformação de lagarta => metamorfose no casulo => borboleta.

  Todos nós nascemos lagartas, nascemos feios por causa das imperfeições, não por causa da aparência física, rastejamos por causa das imperfeições, não por sermos aleijados, somos fracos e limitados por causa das imperfeições, não por causa do corpo que temos.

  Todos nós podemos, nesse período de vida, buscar a metamorfose do espírito, estudando, revendo conceitos, buscando no evangelho a cura para as imperfeições.

  Todos nós temos condição então de nos tornarmos borboletas, belos seres que não mais rastejam, mas voam, que são mais leves, mais livres, mais bonitos e nos parecem mais felizes. Assim é a humanidade, que se quiser pode se transformar em borboletas.

  O Cristo ensinou o caminho, pediu a reforma interior de cada um de nós, pediu para crermos na sua doutrina de amor, pediu para amarmos a Deus acima de tudo e todos, amar ao próximo como amas a si mesmo e ainda lhes digo, o Cristo não pediu nada de impossível, nós é que dificultamos nossa transformação.

  Há os que preferem ser lagartas pelo resto da vida, buscam nas matéria, nas drogas, no sexo, no dinheiro a trava que lhes mantém rastejantes e afastados de Deus.

  Há os que entram no estado de metamorfose, dentro do casulo permanecem mais tempo do que o necessário, alguns nem dele saem. São os que passam a vida carnal toda dentro das igrejas ou casas espíritas e não aprendem nada, vão só por ir, como se fosse uma obrigação para atender a vontade da família ou para se fazer agradável aos olhos dos outros, quando na verdade essa oportunidade de mudança tem que ser para si próprio, para se tornar uma pessoa melhor. Não adianta entrar na casa de Deus, como alguns chamam, ouvir o sermão do padre, pastor ou palestrante e não refletir, não buscar melhorar, sair de lá igual entrou.

  Mas felizmente há os que saem a tempo do casulo, mais renovados, mais fortes, aprenderam e entenderam os ensinamentos de Jesus, passam a buscar o amor incondicional, passam a ajudar o próximo sem questionar se ele merece receber ajuda, passam a seguir a lei de amor e caridade que o Cristo nos ensinou como maior exemplo a ser seguido.

  E você, hoje és uma lagarta? Estás no casulo ainda? Serias tu uma borboleta? Reflitamos bem e observemos se o que fazemos hoje é realmente o que queremos para nós.


Nenhum comentário:

Postar um comentário