sábado, 30 de março de 2013

Canção de Paz - Aleluia - Elizabete Lacerda


  Olá queridos irmãos!

  Já devem ter percebido que gosto muito do trabalho de Elizabete Lacerda, pois sempre publico os vídeos dela por aqui.
  Hoje recebi mais uma obra prima, uma canção que eu já conhecia, mas que ficou esplêndida na voz da amiga espírita Elizabete e por isso eu vou reproduzir abaixo o vídeo e também o texto do e-mail que permite a qualquer comprar o cd duplo sem precisar pagar pelo frete, confiram o vídeo:




Mensagem recebida:

"Essa canção faz parte do álbum duplo PAZ E BEM, e se chama  ALELUIA
Para quem se interessar, o álbum custa 30,00 (isento de frete)  (são 2 cds inclusos)

Feliz Páscoa na Paz e Amor de Jesus!
Grande abraço... bem apertado!"

Link o vídeo no youtube: http://www.youtube.com/watch?v=YYfjM1v4UjE

-- 
ELIZABETE LACERDA
https://www.youtube.com/user/ElizabeteLacerda?feature=mhee

quinta-feira, 28 de março de 2013

Por que reclamar da vida, quando a vida só quer me ajudar a ser melhor?


  Reclamar dos acontecimentos não irá te fazer mais feliz, nem lhe trará paz, algumas vezes pode até lhe levar ao desequilíbrio emocional por causa de sua vibração estar tão pesada, por querer achar sempre um culpado, por querer se fazer de inocente em todas as situações.

  Não devemos ser os reclamões que costumamos ser, isso é perda de tempo, é um gasto de energia inútil que pode até dar algum resultado, mas a que preço? Vale a pena perder a sua paz por isso? Vale a pena você se estressar, ficar doente, criar uma briga?

  É preferível nos tornarmos conscientes da causa e da responsabilidade e deixarmos que o juiz supremo, Deus, cuide de julgar os que são justos dos que não são. Não cabe a nós apontarmos falhas, nem acusarmos erros, eu mesmo já fiz muito isso e percebo hoje quanto tempo perdido, quanta energia gasta por pura bobagem.

  As vezes nossos princípios morais são imponentes, nos cobram tanto que queremos que todos ao nosso redor e de convívio diário sigam os mesmos princípios e, ai daquele que fugir dessa linha de raciocínio, pois será alvejado com reclamações de sua conduta.

  Uma das mais espetaculares lições que recebi dos céus foi essa, pois no passado eu era aquele que não podia ver coisa errada, queria que a pessoa logo fosse punida e ficava mordido quando as pessoas faziam vista grossa para o mal que se fazia. Se alguém prejudicava a companhia, eu logo queria e fazia de tudo para mostrar que eu estava certo, o outro estava errado. Quanto engano de minha parte.

  Em um belo sonho, numa visão espiritual concedida como benção para o despertar desta alma orgulhosa que vos fala, fui vivenciando o mesmo lugar, as mesmas situações e as mesmas reclamações que fiz durante a minha vida. Lutava para ser ouvido, mas infelizmente o fazia acusando outrem. Quanto mais eu gritava, menos eu era ouvido.

  Foi então que a doce voz de um lindo espírito soou aos meus ouvidos e dizia: humildade, humildade, humildade...

  Aquilo foi o basta para o meu próprio espírito despertar, compreender que não devemos viver na reclamação, que não era eu o encarregado de apontar falhas alheias, não foi para isso que eu renasci aqui na Terra. O choro tomava conta de mim, o desabafo que fiz ao assumir que era eu quem estava errado tentando acusar o próximo, mesmo que o que ele fizesse não fosse correto, eu sabia no fundo que eu nada tinha a ver com isso. Deus é quem irá julgar, não eu, não você.

  Reclamar, acusar, apontar e julgar são atos de um espírito rebelde, mimado e revoltado consigo mesmo. Quando compreendemos que Deus tem o controle de tudo, despertamos para uma paz interior enorme e somos presenteados com a oportunidade de um caminho muito melhor.

  Se persistirmos no erro, agindo no orgulho de que somos nós corretos e os outros todos errados, então sofreremos por conta própria, por escolha própria, por ignorância.

  Esta lição carrego comigo e compartilho convosco, mas sei que nem todos me ouvirão agora, mas um dia compreenderão.

quarta-feira, 27 de março de 2013

Isso é um engano, eu não mereço isso!


  Já pensou se as coisas não tivessem propósitos, se tudo fosse um engano de Deus, se o que me acontecesse ou quem eu conhecesse fosse por acaso? Quer dizer que quem eu amo é por acaso? Quer dizer que meu nascimento é um acaso?

  Não, não é, pois todos temos essa certeza de que o que nos acontece vem na hora certa e para um propósito muito maior do que o que somos capazes de compreender.

  Diante de nossa inferioridade perante o Criador, somos levados muitas vezes a nos questionar se o que sofremos ou quem conhecemos e um dia nos tenha feito algum mal é realmente obra do destino que Deus reservou para nós.

  A primeira coisa a entender é que não houve engano, aquela pessoa era para estar ali mesmo, naquele momento, naquele lugar, naquele estado vibracional e por conseguinte, na sua história. Mas isso não quer dizer que Deus tenha reservado momentos ruins para você viver e é esse o verdadeiro engano que cometemos.

  Somos os causadores de nossas aflições, pois fazemos escolhas, sim, escolhemos nossos caminhos, escolhemos o que vamos estudar, onde vamos trabalhar, o que vamos comprar e por que então temos que achar que tudo é acaso? A escolha não foi sua? Não foi minha? Então, onde há acaso nisso?

  Dai você diz, comprei algo, tinha dinheiro, a marca era boa, a loja é conhecida e respeitada, mas veio com defeito, isso é o acaso... Não é!

  Isso é a mão de Deus lhe alertando que na vida terrena não há perfeição senão nas criações de Deus, pois se observamos que um produto que você comprou e deu defeito veio das mãos do homem, um ser ainda falho e em evolução. Não há motivo algum para culpar Deus, nem o coitado do azar, isso não é culpa de ninguém, isso é algo que lhe veio para ensinar e lhe permitir vivenciar situações e experiências que não são possíveis ter no plano espiritual.

  Como espírito, vivendo ao lado dos que você ama, feliz e sorridente você não tem como comprar algo e vir com defeito, pois não há imperfeição nas coisas de Deus. A vida espiritual é maravilhosa, mas para o progresso do espírito é necessário o contato com situações que só nos são possíveis por meio da vida material.

  Cada pessoa que cruza a sua vida é fruto de nossas escolhas e necessidades. Nós, quando agimos de uma determinada maneira e com um certo pensamento, criamos um campo vibracional que atrai tal pessoa para nossa vida. Quando escolhemos um trabalho, somos nós que estamos nos aproximando de outras pessoas que já trabalhavam lá. Quando viajamos e fazemos amizades, somos nós que saímos de nossa residência e vamos ao encontro de locais habitados por outras pessoas.

  Aceitar que nossas escolhas influenciam diretamente no que nos acontece, é sinal de maturidade espiritual e por consequência, reflexo de uma vida menos conturbada e mais condizente com os ensinamentos Cristãos.

  Reclamar que o destino lhe foi cruel não vai mudar o que está acontecendo, mas procurar melhorar suas atitudes e pensamentos visando se tornar uma pessoa melhor, isso sim vai te ajudar.

terça-feira, 26 de março de 2013

O espelho revela: és belo por fora, mas podre por dentro.


  A casca que cada um veste chamada de corpo físico traz aparências que nem sempre são o verdadeiro reflexo do seu interior. Há pessoas bonitas que não tem bom caráter, há pessoas feias que não tem mal caráter, há pessoas de todos os tipos, por dentro e por fora.

  Quem olha apenas a aparência, se ilude e acaba se decepcionando logo. Esse é um dos principais motivos de muitos relacionamentos ficarem no "quase" e de outros de ficarem no "já deu o que tinha que dar".

  Conhecer o interior de alguém é reconhecer a pessoa como ela é realmente, é entender suas atitudes nos mínimos detalhes sem se prender a sua beleza ou carisma gerados pela aparência física e temporária, pois o corpo padece, envelhece mas a alma e o caráter serão para sempre vigorosos escaladores da montanha do progresso contínuo do ser.

  Nascemos hoje para corrigir nossas imperfeições e, para que tenhamos sucesso nesse quesito, não podemos ficar escondendo dos outros quem somos. As pessoas precisam nos conhecer, precisam nos aceitar como somos e somente ocorrerá tal coisa se não as enganarmos. Devemos ser transparentes, verdadeiros, sinceros e honestos, assim criaremos relações muito mais duradouras, assim viveremos a vida real e não um sonho ilusório criado por uma mente que só quer se aproveitar de suas características físicas como forma de se beneficiar de algo ou alguém.

  Ora, acaso um empregador irá manter uma bela jovem só por aparência? Mesmo que ela trabalhe mal e dê prejuízo para a empresa? Se o fizer, ele estará colocando em seu negócio um ponto obscuro e que irá um dia ser a ferrugem da base da estrutura da empresa, podendo levar o negócio do topo ao chão em pouquíssimo tempo.

  Quem um dia julgou Jesus ela aparência de pobre, simples e humilde, hoje se arrepende amargamente porque estava diante daquele que era mais rico do que todos, mais nobre do que todos e mais digno de respeito do que todos. Esse foi o motivo pelo qual o Cristo buscou viver assim, pois Ele bem sabia dos males da aparência e conhecia o coração de cada irmão que Dele se aproximava e nem por isso os julgava, mas procurava compreendê-los dentro de suas limitações.

  Deus não nos ama pela nossa beleza ou aparência, porque Deus nos conhece no íntimo, nos mais profundo pensamentos.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Para que não tenhas de recomeçar, basta não desistir!


  Realmente recomeçar exige um esforço bem maior do que começar, pois quando começamos, temos expectativas novas, ainda não ocorreram falhas, tudo parece promissor. Quando recomeçamos, olhamos para os erros já cometidos, a dúvida parece saltar aos olhos e a incerteza do sucesso nos pressiona contra a parede.

  Se recomeçar é mais difícil do que começar, o que devemos fazer para não necessitarmos recomeçar?

  Precisamos parar de desistir! Desistir é muito fácil, é como jogar a toalha e dizer chega, cansei, que se dane isso ou aquilo, não quero mais... Palavras fortes, porque mostram que somos nós quem estamos nos entregando ao verdadeiro fracasso. Quando começamos pela primeira vez nós queríamos tanto que tudo desse certo, mas quando desistimos assim, tão fácil, então percebemos que há um sentimento oposto.

  Se ao menos não tivéssemos desistido tão facilmente, é bem provável que não teríamos que recomeçar, que não teríamos fracassado e que até mesmo estivéssemos hoje mais fortalecidos com a experiência que vivemos anteriormente.

  Mas se já foi, se já aconteceu, não há motivos para reclamar, tão pouco para se entregar. Recomeçar é possível e sabendo quais são os pontos fracos, devemos atuar exatamente neles.

  Já pensou se Jesus, em meio a tanta tribulação que sofreu, tivesse desistido de nos ensinar a amar? Acha que teria sido fácil Ele recomeçar? E a confiança que Ele transmitia se apresentando como filho de Deus, quem o visse desistir talvez não aceitasse o seu fracasso. Por isso é melhor não desistir, é melhor ter fé, confiar e prosseguir, contornar os obstáculos da mesma forma que as águas do rio contornam até que cheguem a desembocar no mar.

  Não desista agora, não deixe os teus inimigos te vencerem, mas mostra-te mais forte, mostra-te superior a eles, pois que caiam 1.000 a tua esquerda e 10.000 a tua direita, tu não cairás, és amparado por um Deus único que guia com a Sua destra todo aquele que caminha reto e justamente.

sexta-feira, 22 de março de 2013

O simples ato um dia será um grande espetáculo


  Nada começa pelo fim, tudo se inicia no pequenino, no simples, no indicativo de como será, na prévia de como virá.

  Devemos observar que as pequenas exemplificações que a vida nos dá, são avisos do grandioso espetáculo que diante de nossos olhos surgirá.

  As vezes não damos a devida importância para esses avisos, por julgarmos serem simples e pequeninos demais, é então que quando a grande obra do Criador surge diante de nós, que nos mostramos despreparados.

  Já pensou se tudo o que nos acontece viesse como um caminhão com carga jogado no nosso colo? Todos desistiríamos no primeiro acontecimento. É por isso que primeiro surge uma amostra e depois vem o acontecimento.

  Isso vale tanto para as coisas boas, como também para as ruins. São os sinais divinos, alertas bem vindos, que precisam ser respeitados, observados e compreendidos.

  A tempestade não começa do nada, primeiro surgem pequenas nuvens, depois elas se aglomeram aos poucos no céus, o vento tende a ficar mais forte, o cheiro de terra molhada nos chama a atenção, as nuvens escurecem e avisam veemente que a tempestade está a ponto de cair, as primeiras gotas dão a última chamada para cada um se abrigar e aquele que ainda assim não observar todos esses pequenos sinais, uma tempestade poderá vir a enfrentar.

  Tende calma, olhai com atenção, os sinais vem para o teu bem, lhe mostram o futuro de forma a compreender o que vai acontecer, o porque e quando, cabe a você confiar nos sinais de Deus e se proteger das tormentas.

quinta-feira, 21 de março de 2013

O exemplo de um, pode ser o exemplo para muitos


  Uma oração é um pedido, uma súplica, um agradecimento ou uma lamentação que direcionamos a Deus, ora por nós, ora por alguém que amamos.

  Quando oramos, nos colocamos em posição de humildade, nos entregamos de coração aos sentimentos mais sublimes que regem o nosso caminhar e, portanto, damos o melhor de nós.

  Quando fazemos a oração não só nas palavras, mas também nas atitudes, então realizamos a ação do bem ao próximo sob a inspiração do amor. Doamos-lhe exemplos, amor, carinho, paz e alegria sob a forma da caridade, do gesto de boa vontade.

  É essa oração a mais eficiente de todas, porque o exemplo é forte aliado a melhoria contínua do ser. Quantos de nós não agimos pelo exemplo de outros? Quantos não aprendemos pelos exemplos?

  Se somos praticantes das boas ações, então nos rodearemos de pessoas que desejam ser como somos. Se somos praticantes de más ações, então teremos más companhias.

  Vemos isso todos os dias, quando olhamos para um grupo de viciados em drogas, compreendemos que eles estão juntos por afinidade, porque acreditam que o exemplo que um dá, os outros concordam ser adequado as suas idéias.

  Portanto, devemos agir com bons exemplos vindos do coração e, mesmo que nos pareça não haver aceitação ou retorno, acredite, sempre haverão os que mudarão suas atitudes e opiniões de forma a adentrar no caminho do amor e da caridade que tu exemplificastes.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Pensando ser juiz, na verdade você pode ser o réu


 Longe de cada um deveria estar o julgamento, até porque as imperfeições do ser humano são flechas apontadas para cada palavra julgadora que ele lança contra o seu próximo.

  Mas nem sempre conseguimos nos impedir de criar julgamentos e, quando o fizermos, temos que ter em mente que não conhecemos o passado, não conhecemos a vida anterior, não conhecemos as razões por completo, não estamos na pele de quem vivencia tal situação.

  Eis porque Jesus pedia para não julgarmos, porque o próprio Cristo sabia que seria julgado por tentar ajudar, por tentar amar, por tentar fazer o bem e somente conseguiríamos aceitar tudo de bom que Jesus nos ofertava se não o julgássemos pela sua pobreza, pela sua simplicidade, pela sua boa vontade para os imundos, pobres, doentes e na maioria das vezes pecadores.

  Devemos procurar deixar que Deus seja o nosso juiz, evitando assim um confronto direto com o nosso próximo, minimizando assim as desavenças causadas pelo julgamento. Todo aquele que busca compreender as dificuldades do seu próximo, acaba por compreender as suas próprias dificuldades, enxergando as suas próprias falhas e descobrindo que muitas vezes é igual ao seu semelhante que agora está errando, mas que amanhã poderá vir a acertar.

  Ao invés de julgarmos, ajudemos o nosso próximo a se tornar uma pessoa melhor, dando a ele bons exemplos assim como Jesus fez com todos nós, respeitando os que queriam ouvir e ver, compreendendo que cada um tem o seu tempo e que Deus sabe bem o que faz.

terça-feira, 19 de março de 2013

Todo mal lançado, será um dia, mal retornado!


  Todo ato possui consequências, hora positivas, hora negativas, depende do tipo de ato, depende da intenção e de alguns outros fatores que podem vir a influenciar no resultado da ação cometida.

  O fato é que não podemos evitar essa consequência, não temos como fazer um buraco no barco e evitar que ele ele se afunde, pois foi de nossa própria autoria e de nossa própria vontade que o fizemos perder sua capacidade de flutuar.

  Assim é a vida, a qual nos dá de volta o que semeamos. Nossas ações trazem reações, muitas vezes esperadas, outras vezes adversas, mas sempre existem reações e somente aprendemos a compreendê-las quando experimentamos.

  As vezes podemos sorrir para alguém e recebermos um sorriso de volta, outras vezes podemos receber um "tá olhando o que?", mas seja como for, temos que ter em mente que por pior que nos pareça o que recebemos de volta, tudo isso pode vir a ser um acumulo de muitos e muitos atos anteriores. Se alguém te responde rispidamente, talvez você tenha tratado essa pessoa com indiferença anteriormente e não vai ser um sorriso que vai apagar o que você fez, mas com certeza vai começar a mudar a má impressão que você causara.

  Jogai a pedra para o alto e observai que obrigatoriamente ela voltará para o solo, no entanto ela pode vir a ferir alguém ou não, tudo depende de para onde apontamos. As vezes arremessamos pedras e nada de ruim acontece, mas quando acontece é porque nós o fizemos apontando para o nosso próximo e é ai que a confusão se arma. É ai que o mal retorna, pois quem recebe a pedrada tende a querer devolvê-la.

  Não te julgues vítima do mundo, pois toda ação possui uma reação e se algo lhe faz mal hoje, vai e revisa tuas atitudes para com o teu próximo, afim de compreender onde errastes e o que deveis fazer para melhorar.


segunda-feira, 18 de março de 2013

Em Guerra Comigo Mesmo


  A batalha interior é de cada um, realmente ninguém a vê, ninguém sabe como é difícil tentar se corrigir, tentar se policiar, tentar melhorar. Quantas vezes tentamos não explodir, não gritar, não perdermos a pose diante de situações que muitos sequer fariam um mínimo de esforço para manter a calma.

  Quando vencemos, vencemos a nós mesmos, quando perdemos, perdermos para nós mesmos. A batalha interior não envolve o próximo, não é culpa de outrem, mas é de nossa própria responsabilidade. Quem está de fora não pode e não consegue interferir nela, porque não a vê, não a sente, não a compreende.

  O sucesso ou o fracasso depende apenas de cada um. Quando nos encontrarmos em momentos de fraqueza, temos que orar, temos que elevar os pensamentos, tempos que clamar por socorro espiritual, pois Deus é a nossa força interior, é o nosso suspiro de alívio, é a chama que aquece o coração gelado, é o remédio que apascenta a dor nas cicatrizes do coração.

  Já nos é difícil corrigir as nossas falhas exteriores, imagine então as que estão no nosso íntimo, as quais não temos como pedir ajuda ao irmão, ao amigo, ao marido ou esposa...

  Mas não te faltarás força para superá-la, pois todos somos capazes de vencer a si próprio. Faz parte de nosso processo evolutivo enfrentar o seu "eu", descobrir o que precisa mudar, entender porque se sente assim e compreender para que se deve tal correção. 

  Cada provação superada nos torna mais fortes, o mesmo ocorre com a batalha interior, a qual nos lapida de dentro para fora e nos faz refletir a luz mais branca, mas leve, mais resplandescente que vem das profundezas de nossos corações.
 

domingo, 17 de março de 2013

Não gostou? Então mude de canal!



  Hoje eu vou fugir um pouco do tema e da proposta do Serena Luz, isso porque nesse vídeo abaixo encontrei um rapaz corajoso, daqui da minha região, que falou o que pensa, o que vem em seu coração, que não teve medo da censura e que disse o que muitos gostariam de dizer ao mundo todo.

  Se hoje nossa televisão é tão ruim assim, se os programas são tão banais, lembremos sempre que isso tudo é uma escolha nossa. Se você, ao invés de assistir um programa tão ruim, buscasse ler um livro, conversar mais com a sua família, passear no domingo de tarde ao invés de ficar assistindo mulheres peladas na TV, provavelmente o ibope baixo destas emissoras acarretaria numa mudança de conteúdo e, portanto, uma possível melhoria dos programas.

  Somos responsáveis por tudo o que nos acontece e o que passa na TV não é diferente. Assitam o vídeo abaixo e vejam a reação do reporter numa transmissão on-line para o portal da maior emissora do país.


  Seria muito bom se todo mundo reagisse, se nos uníssemos em prol de um mundo melhor, ao invés de apenas reclamarmos da vida. São atitudes como essa que nos fazem despertar para a realidade que as propagandas e os veículos de comunicação vêm nos empurrando guela a baixo.

  Não somos um povo burro, podemos melhorar muitas coisas, mas temos que exigir melhorias no ensino, pois as crianças de hoje, no padrão escolar que vivem, serão menos preparadas do que nós somos. Se hoje estamos sofrendo, é porque não tivemos a educação e nem os princípios morais necessários para uma vida melhor, o que podemos esperar dos nossos jovens que estão recebendo menos ainda?

  Precisamos cobrar mudanças urgentes, é preciso acordar toda a nação. Hoje a presidente nos engana anunciando uma redução na conta de luz como se fosse a solução nacional para a pobreza no país, quando na verdade ela só estava mascarando um aumento absurdo no combustível, que por sinal não aumentou 1 vez depois disso, mas 2 vezes aqui na minha cidade.

  Reflitamos sobre isso, façamos a nossa voz ativa e não passiva, seremos mais fortes se estivermos unidos!

  O vídeo está disponível no link Vídeo_80

sexta-feira, 15 de março de 2013

A mente, uma caixa fechada que só você pode abrir



  Podemos evitar muitos dos males que cometemos apenas analisando nossos pensamentos antes de falarmos.

  Haverão sempre momentos oportunos para expressarmos nossa opinião, assim como haverão momentos em que o silêncio será o melhor caminho.

  Quem busca pensar bem antes de falar, evita magoar o seu próximo, evita sofrer por uma discussão desnecessária, evita criar atrito.

  Não é fácil agir assim, somos educados nas escolas a falar o que nos vem a mente, não a falarmos o que é correto e o que gostaríamos que nos dissessem.

  Jesus claramente nos ensinou a não fazer ao nosso próximo aquilo que não queremos que nos façam e, portanto, se não gostarias que te repreendessem naquele momento, naquela situação, então não o faças com o teu próximo.

  Há um trecho interessante na bíblia que nos ajuda a refletir sobre isso:

  Mateus 18: "Se o teu irmão pecar, vai corrigi-lo a sós. Se ele te ouvir, ganhaste o teu irmão. Se não te ouvir, porém, toma contigo mais uma ou duas pessoas, para que toda questão seja decidida pela palavra de duas ou três testemunhas. Caso não lhes der ouvido, dizei-o à Igreja. Se nem mesmo à Igreja der ouvido, trata-o como o gentio ou o publicano."

  Há momentos em que devemos mesmo falar o que pensamos para tentar corrigir ou ajudar o próximo que pode estar errando, mas o ideal é que o façamos sozinho e diretamente com ele(a) e quando isso não surtir efeito, a opinião de outras 2 ou 3 pessoas pode ser útil para mostrar que mais pessoas enxergam o erro dele.

  Pensemos sempre bem antes de falarmos, abrindo nossas mentes e nos colocando no lugar do nosso próximo, a fim de evitar causar-lhe o mal, afim de sermos justos e sinceros de coração, para então nos fazermos simples e humildes, assim como se fez Jesus a todos os seus irmãos.


quinta-feira, 14 de março de 2013

O forte encontro da Onda com a Rocha




  A força nos fora concedida como instrumento de realização de nossos desejos e vontades. Usá-la sabiamente nos trará frutos de um esforço bem empregado, mas usá-la de forma incorreta acarretará em lamentações, dor e desespero.

  A onda é forte quando quebra na praia, se observarmos bem, ela pode destruir o que está no seu caminho e por isso é temida por todos. Mas ao empregar essa força de forma destrutiva, a onda não constrói nada de bom, pois sua força torna-se prejudicial, ela torna-se temida e todos tendem a afastar-se dela. Sua força então a deixa ali, sozinha, vivendo a ressaca do mar, curtindo a sua revolta.

  A rocha, por outro lado, usa sua força para resistir ao tempo. Firma-se no solo e enfrenta a situação sem nada prejudicar. Age como a fé inabalável que serve de exemplo para outros e que mostra ser próspero o caminho. A rocha é como a mão de Deus que nos circunda e nos protege de todo o mal, desde que nossa fé proporcione tal força.

  Quando a força da onda encontra a força da rocha é que temos então a resposta sobre qual força é a melhor empregada, pois a onda pode bater milhares de vezes na rocha e não e verá mudança alguma na onda que não seja o enfraquecimento de sua força, enquanto que a rocha que se aplica na força da resitência contra a onda tem sua forma lapidada pelo tempo e adquiri muitas vezes a beleza de ter resistido ao mar, ganhando curvas que a resplandecerá diante das outras rochas.

  É isso que conquistamos com a força quando empregada corretamente. Para tudo tem 2 caminhos, o bom e o ruim, cabe a cada um de nós discernirmos sobre o que é certo e o que é errado. Na dúvida, interroguei a vossa consciência pondo-se no lugar do Cristo com a seguinte pergunta: O que faria Jesus em meu lugar? A resposta é o melhor caminho dado por Aquele que é o nosso maior exemplo!


quarta-feira, 13 de março de 2013

A Teia de Amor que Une a Humanidade


  Se a mãe ou o pai amasse mais um filho do que o outro, estaria este sendo correto? Seria isso bom aos olhos de Deus e de sua própria família?

  Observemos que há em algumas famílias a desarmonia do ambiente que costumeramente é causada pelo ciúmes, fruto da preferência de um mais do que a de outro.

  O que fazer nesta condição? Amai a todos igualmente!

  Deus nos criou capazes de amar a tudo e a todos, independente de suas qualidades boas ou ruins. Amar não é se apegar, não é querer estar 24horas ao lado de alguém, amar é libertar, educar, confiar e aceitar o seu próximo com as imperfeições que ele tem.

  Quem prende não ama. Isso é apego, muito cuidado. O apego ilude, causa dor e sofrimento, ciúmes e revolta, é mal conselheiro aos nossos ouvidos.

  O amor é sublime e eterno, não fere, perdoa, não prende, liberta, não privilegia, mas humildemente compartilha por igual.

  Amar não é sexo, não é desejo da carne. Por isso podemos amar a todos, sem necessariamente, nos relacionarmos com contato físico com todos. É possível amar o amigo, o parente, o conhecido e o desconhecido da mesma forma, tendo por ele(a) respeito, compaixão, sinceridade e boa vontade.

  Não nascemos para amar uma única pessoa, não temos porque sofrer por um único alguém. Somos feitos para amar a tudo e a todos. O Cristo é o nosso maior exemplo e Ele nos exemplificou que devemos amar desde os pequeninos até os rebeldes, desde os sãos até os loucos, desde os bons até os maus, desde os amigos até os inimigos.

  A dúvida que as vezes nos surge é: como amar o meu inimigo?

  Amar o inimigo não é felicitar-se em vê-lo da mesma forma que você o faz quando vê alguém querido. Seu coração jamais se exaltará pelo teu inimigo da mesma forma que o faz pela sua mãe, por exemplo. Mas amar o inimigo é não ter contra ele a mágoa, a raiva, o desejo de vingança. Amar é perdoar e tentar compreender que o teu inimigo é tão imperfeito quanto você e portanto precisa de ajuda. O ódio não vai ajudá-lo em nada. O perdão vai, pois exemplificará o amor de Deus dentro de nós.

  O exemplo da mãe interrogada sobre qual filho ela ama mais, foi apenas para que possamos refletir sobre nossa capacidade de doar amor a tudo e a todos, independente de quem seja e de como venha a participar de nossas vidas.


terça-feira, 12 de março de 2013

Como Entender o Porquê



  Tantas são as coisas que nos acontecem todos os dias, todas as horas, todos os instantes que é possível nos perdermos, nos desorientarmos, nos desequilibrarmos.

  Mas o acaso não existe, tudo tem o seu porquê.

  Devemos compreendê-lo então? Seria esse o nosso propósito para cada acontecimento, para cada lição?

  Acho que não!

  Certa vez eu assisti a uma palestra a qual achei muito interessante em um determinado trecho, onde o palestrante dizi: não interrogueis a sua consciência sobre o porquê de tua aflição, mas fazei melhor, interrogueis sobre para que isso lhe aconteceu.

  Quando queremos saber o porquê, acabamos nos prendendo a raiz do problema, tentando justificar a causa de todo o sofrimento, enquanto que ao fazermos isso não estaremos resolvendo a situação propriamente dita.

  Quando passamos a buscar compreender para que isso nos aconteceu, então estamos no caminho que nos levará direto a resposta esclarecedora, pois saber para que sofremos é o mesmo que entender o que é que precisa ser melhorado, corrigido e contornado de forma a vencermos a provação.

  Pouco importa quem foi que atirou a pedra, ele é apenas o porquê da situação. O vidro quebrado não vai voltar, não é mesmo? Mas ao sabermos o para que, entenderemos que era para chamar a atenção, pois sentia-se abandonado e precisava de ti. Agora que o sabes, basta dar-lhe atenção e não se quebrará mais uma só janela.

  Uma forma simples de se entender tudo o que nos ocorre é buscando silenciar a alma e interrogando a consciência, causando assim o contato do eu exterior com o eu interior, ouvindo assim os seus mais profundos sentimentos e despertando-se para mundo externo, fora daquele mundinho que você havia se fechado e recusava-se a sair.


segunda-feira, 11 de março de 2013

Nas Profundezas do Pensamento


  Ninguém pode ouvir nossos pensamentos, pois eles são íntimos, são nossos, são o reflexo do que o nosso coração sente.

  É neles, pensamentos, que nos fazemos refletir sobre as situações que vivenciamos todos os dias, que nos afligem, nos alegram, nos emocionam.

  O pensamento quando transformado em palavra é imediatamente posto sob julgamento, pois a palavra é materialização do pensamento e é dessa forma que as pessoas passam a buscar compreender o que se passa em nossos corações.

  Mesmo assim, mesmo quando falamos, nem sempre falamos tudo o que pensamos é por isso que não devemos julgar, pois quem é que pode saber o que se passa no íntimo de outrem? Só Deus pode!

  Se um dia alguém inventar um aparelho leitor de mentes, então o caos se estabelecerá, pois o pensamento é tão rápido que não teremos tempo de nos corrigir a ponto de não ferir próximo.

  Enquanto isso não acontece, aproveitemos o tempo que temos para pensar com cuidado, assim poderemos proferir palavras mais doces, menos rudes, mais amigáveis e agradáveis ao coração e fazer o bem com aquilo que vem de dentro de nós.

sábado, 9 de março de 2013

A inocência da infância animal



  Este é sem dúvida o vídeo mais lindo que já vi! Não poderia deixar de compartilhar com vocês.

  A inocência da infância retratada na vida animal, a  qual se caracteriza por ser fixada no instinto e não na maldade do raciocínio humano.

  Todos podemos aprender algo de positivo com os animais, basta observá-los como nossos irmãos menores e não como espécies à parte.

  Curtam o vídeo, sei que a maioria de vocês vão gostar!


sexta-feira, 8 de março de 2013

O Som da Oração em cada Coração


  As vezes nos vemos em situações tão complicadas que nos faltam palavras para conversarmos com Deus. Nos envergonhamos de tais acontecimentos ao ponto de questionarmos se Deus seria bom o bastante para nos ouvir a prece.

  Não te aflijas quanto a isso, pois todos somos imperfeitos e todos podemos nos arrepender. Deus não ouve os que oram de pé gritando ao mundo suas preces, mas ouve o coração silencioso do filho que está arrependido e que humildemente se ajoelha em demonstração de inferioridade diante de tamanha magnificência do Criador.

  Uma prece feita em pensamento mas com amor e sinceridade tem muito mais peso do que aquele feita com palavras decoradas e em tom alto para se exibir.

  Ninguém gosta de ver alguém se gabando disso ou daquilo, parece-nos ruim aos olhos e ouvidos quando alguém o faz diante de nós, pois falta-lhe humildade e é assim que Deus nos vê também.

  As vezes, só de mentalizarmos a imagem de Jesus já emanamos vibrações positivas ao ponto de sentirmos alívio das aflições do momento. O silêncio também é uma prece e não deixa de ser uma consulta ao seu íntimo.

  Quem ora com o coração, ora para Deus, quem ora com palavras, ora para si próprio, para o seu ego alimentar. Sei que muitos podem criticar esse comentário, pois cada um tem a sua forma de orar, tem a sua crença, mas pense bem, lhe agrada ter alguém gritando ao seu ouvido? Acaso Jesus não nos ensinou a nos trancarmos no quarto em silêncio e orarmos?

  Lembremos que nos trechos bíblicos Jesus condenava os que oravam de pé diante do povo apenas para exaltarem o seus orgulhos, mas aprovava o que humildemente se ajoelhava e mentalizava palavras de amor e de arrependimento.

  A prece é um convite diário para uma conferência com Deus, na qual a linha nunca está ocupada, pois Deus está sempre pronto a ouvir os seus filhos.


quinta-feira, 7 de março de 2013

O Perdão por trás do Coração


  Nos é cômodo orar e pedir perdão a Deus pelos nossos erros e imperfeições como forma de num simples passe de mágica somos perdoados como se nada tivesse acontecido. Logo nos vemos cometendo o mesmo erro mais uma vez, pois basta orar e pedir perdão novamente, simples não é?

  Não, não é. Deus não perdoa quem pede perdão da boca para fora, muito menos quem pede perdão mas não é capaz de perdoar o seu próximo.

  Como podeis achar que Deus não é capaz de conhecer o teu íntimo? Acha mesmo que o Pai não sabe de teus sentimentos de mágoa e rancor pelo que te ofendeu, te agrediu ou te humilhou?

  Nosso orgulho chega a ser tão maléfico para nosso espírito que nos faz colocar uma máscara de falsidade e nos induz a acharmo-nos mais espertos do que aquele que nos criou ao ponto de nos fazermos de falsos ingênuos até na hora de orarmos.

  Piedade tenha Deus de cada um de nós que agir assim, pois nos fazemos merecedores de recebermos um belo "Não te perdoo enquanto não perdoares ao teu irmão". Justo, não acha?

  Além disso, ao pedirmos perdão, façamos com humildade, sinceridade e com a consciência de que não devemos repetir o erro novamente, pois como você se sentiria ao perdoar alguém que, ao virar as costas, torna a fazer a mesma besteira e volta para lhe pedir perdão. Você se sentiria confortável com essa situação? Então por que fazemos isso com Deus?

  Perdoar não significa ser tolo ou bobo. É apenas não alimentar o rancor ou a mágoa. Deixe para traz o que não te faz uma pessoa melhor. Cultive em seu coração apenas o que lhe faz bem e lhe tornar alguém melhor a cada dia.


quarta-feira, 6 de março de 2013

Se há Vida, há de haver um Deus e há de haver a Fé


  A fé pode ser traduzida como a confiança invisível aos olhos que depositamos naquele que acreditamos veemente ter criado o universo, Deus.

  Como é bonito ver o homem de fé, pois este é seguro de si em todas as suas ações, este sabe que nada vai se opor ao seu caminho que ele não seja capaz de superar com o auxilio de Deus, do Cristo e de nossos irmãos de luz.

  Não é preciso ver a fé para que ela exista, pois muitas vezes o homem quieto e humilde tem mais fé do que aquele que grita na praça pública exaltando o nome do Senhor de forma inapropriada, criando alarde ao invés de trazer esclarecimentos aos menos conhecedores dos ensinamentos Cristãos.

  O ser que não possui fé, não possui a luz que o guia para um caminho melhor e por conseguinte, acaba por falhando em diversas áreas da sua vida. Geralmente ele cai, se machuca e demonstra não ter forças para se levantar sozinho. Essa é a proposta do Criador, pois Ele não obriga ninguém a ter fé, mas permite aos incrédulos viverem como todos os outros, caírem como todos os outros e é na hora de se levantar que Deus espera ansiosamente pelo chamado que até o mais ateu de todos os homens um dia realizará: "Deus, ajuda-me por favor!"

  O curioso é que a fé não pode ser facilmente medida, não temos como ver se alguém realmente tem mais fé que o outro se não for por meio das mais difíceis provações que nos testam a lealdade e o amor à Deus.

  No fundo de nossos espíritos, há a certeza de que existe um Deus, pois observamos que até os selvagens que nunca tiveram qualquer contato com uma religião acreditam na existência de Deus. Como poderiam eles crer em alguém de quem nunca ouviram falar? Isso é fé! Fé cravada no espírito, é a certeza que trazemos do plano espiritual, de tudo aquilo que aprendemos antes de encarnar e que, mesmo tendo esquecido momentaneamente para vivermos essa nova existência terrena, ainda guardamos resquícios em algum lugar, bem lá no fundo.

  Tende fé no caminho, tende fé na humanidade, tende fé em Jesus, tende fé em Deus e haverá o dia em que recompensado pela tua crença e pelo teu amor o teu retorno se dará de forma tranquila e bem quista pelo Criador.


terça-feira, 5 de março de 2013

Notificação sobre o Chat e as Reuniões

Faz-se necessário uma pausa nos encontros de prece on-line que costumávamos realizar todos os dias às 23 horas.

Isso não significa que as orações irão parar, pois todos os que enviarem os nomes para a prece, receberão preces.

O Chat será temporariamente removido, mas as atividades no Serena Luz ocorrerão todos os dias, com novas mensagens, vídeos e com preces diárias feitas por mim em prol dos que necessitam.

Agradeço de coração aos que participavam comigo das preces e estudos e espero que prossigam orando e fazendo o bem em seus corações.

As vezes precisamos nos retirar, não por medo da batalha, mas para nos fortalecermos e nos desenvolvermos ao ponto de ficarmos mais fortes para o encontro da vitória.

Deus abençoe a todos, assim como tem me abençoado todos os dias!

Os Males da Fofoca


  O homem é dono do que cala porque é ele quem manda sua língua agir, ela não age por vontade própria, nem destila veneno no falar por rebeldia contra as ordens cerebrais, mas o faz por vontade própria do homem que pensa nem que seja um milésimo de segundo antes de falar, mas nem sempre reflete sobre o que pensou.

  O homem é escravo do que fala porque sua língua o condena e o denuncia, ela põe para fora o que há de bom ou de ruim em seu coração, ela é a transmissora dos pensamentos mais íntimos do ser e pode muito bem nos colocar em situações delicadas, as quais nos tornam bons ou maus diante dos que nos rodeiam.

  Ora, como podeis falar da maldade e alguém quando na verdade és tu quem viestes falar mal de outrem? Observai pois, que todo aquele que fofoca, que fala mal de alguém, não pode ser melhor do que o coitado que muitas das vezes não está ali para se defender.

  Pela nossa fala transmitimos emoções, sentimentos, caráter e nos mostramos verbalmente o que há em nosso interior mais profundo. É quando falamos mal de fulano que perdemos a credibilidade, a amizade, a confiança e que nos fazemos arrogantes e hipócritas.

  Conhece-se o caráter de alguém pela forma como ele se comporta, fala e  até mesmo pelo seu simples olhar.

  Quando dizemos para não julgar para não serdes julgado, o fazemos justamente para que tu penseis duas vezes antes de acusar ou falar mal de alguém, pois ao fazê-lo estarás abrindo margem para que te julguem também.

  Procuremos deixar os erros dos outros para os outros, busquemos corrigir os nossos próprios erros. Ora, já não somos imperfeitos o bastante para nos ocuparmos com nossas imperfeições? Então por que temos que ficar cuidando da vida dos outros?

  A cada um é concedido a oportunidade do silêncio, mas poucos a aproveitam.




segunda-feira, 4 de março de 2013

Onde estiver o teu tesouro, ali estará o teu coração!


  Os bens materiais, também conhecidos como tesouros da terra, são bens temporais que Deus em sua infinita bondade concede a nós para usufruto visando o progresso individual e coletivo do ser humano, o que nos leva então a reflexão: Por que acumular bens na terra e não partilha deles com os outros?

  Quanto mais ganhamos, mais queremos ganhar, não é verdade? Quem não quer conforto, luxo, facilidades? Ora, ter uma vida mais confortável não é errado, mas é errado ser egoísta e querer isso só pra si, enquanto outros estão sofrendo.

  Todo excesso é prejudicial ao ser, mas o que não podemos é radicalizar. Não é errado ter um carro novo que irá lhe conceder um acesso mais rápido ao trabalho, à escola, lhe permitirá visitar parentes distantes, etc... Mas seria errado se matar de trabalhar, tirar bens necessários de sua família, tudo para economizar e comprar aquele carrão caríssimo que quase compra uma casa e que iria te tirar do aluguel.

  A melhor forma para sabermos se estamos acumulando tesouros na terra é se perguntar: Eu realmente preciso disso? Isso irá me trazer benefícios reais e não prejudicará o meu próximo? Há a possibilidade de adquirir algo mais em conta que me permita sobrar alguns recursos para ajudar os que necessitam?

  Quando agimos assim, passamos a acumular os bens nos céus, onde a traça não come e a ferrugem não corrói, pois o que é de Deus é eterno e o que é do homem é passageiro. Lembremos que o espírito tem vida eterna, mas o corpo humano não e não justifica viver pelos bens materiais, uma vez que depois que morrer você vai ter que devolver tudo para a Terra.

  Não é possível servir a Deus a Mamom ao mesmo tempo, é preciso escolher um deles e aquele que escolher Deus irá trilhar o mesmo caminho que Jesus ensinou de paz e amor, mas a Mamom só resta o caminho do apego ilusório e sofrido que muitos estão trilhando hoje, matando por dinheiro, roubando por drogas, mentindo e enganando por status social.

  Onde estiver o teu tesouro, ali estará o teu coração!


sexta-feira, 1 de março de 2013

A Corda Bamba entre as Escolhas e as Consequências



  Somos bombardeados diariamente com possibilidades e oportunidades e nos interrogamos veemente sobre o certo e o errado, sobre o melhor e o pior.

  Qual é o melhor caminho?

  Não sei, pois o caminho certo é a escolha de cada um e eu não poderia lhe dizer qual é o seu.

  Esse momento de equilíbrio na corda bamba é crucial para você demonstrar a Deus e a si mesmo que estás preparado para enfrentar qualquer caminho.

  Se um caminho lhe parecer desafiador, porém perigoso, enquanto outro é fácil, porém pouco proveitoso, cabe a você escolher o seu perfil, cabe a você mostrar o tamanho da sua fé, cabe a você avaliar se ele não vai prejudicar o seu próximo e assim por diante.

  As escolhas dos caminhos são bem simples, mas os resultados dessas escolhas é que não são. Por exemplo: é fácil eu escolher me matar e acabar com esse sofrimento que vivo agora, mas a consequência dessa escolha que parece tão facil é desastrosa, pois o sofrimento de um espírito suicida é milhares de vezes maior do que o que eu vivia aqui quando encarnado.

  Um outro exemplo: é difícil escolher viver uma vida de renúncia como Jesus escolheu, mas a consequência dessa escolha é maravilhosa, pois o bem que se faz para o próximo é o bem que se recebe de volta e a evolução moral/intelectual se faz de forma natural, pela vontade sua e do Criador e por conseguinte, traz a paz ao coração.

  O equilíbrio existe, para que o espírito tenha condições de avaliar o caminho, mas as escolhas são suas, as consequências vêm da suas escolhas e não adianta reclamar, pois tudo foi obra tua, Deus nada fez para te obrigar a seguir tal caminho, Ele, amado Pai que é, foi apenas aquele que lhe presentou com tamanha oportunidade de se tornar alguém melhor.

  Se não temos certeza de nossas escolhas, se não nos sentirmos seguros, podemos pedir a Deus e a seus anjos de luz que nos ajudem a refletir, mas não adiantaria pedir para Deus escolher para nós, pois Ele não o fará, você tem o livre arbítrio e é você quem escolhe.

  Medite sempre sobre as opções, questione a sua consciência, busque entendimento e então tome sua decisão com segurança, com a certeza de que está tentando seguir o melhor caminho, assim não lhe restará motivos para se martirizar em remorso pelo resto da vida.