segunda-feira, 8 de julho de 2013

Cala-te, ouve e espera, logo entenderás!



  Quando você tiver a oportunidade de observar em silêncio uma situação, experimente-a. Nós costumamos interagir com tudo e com todos em vários momentos, basta alguém falar e logo respondemos, basta alguém ofender e logo ofendemos, basta alguém chorar e logo choramos junto.

  Mas raras são as vezes em que firmamos nossa atenção no que está acontecendo, analisando friamente a situação, se pondo no lugar da outra pessoa. Ao fazermos isso, em silêncio, damos tempo para nossa consciência se libertar dos pré-julgamentos e então buscar o entendimento do sofrimento alheio.

  O silêncio revela mais do que uma conversa em voz alta, ele nos faz sentir o drama, a dificuldade e as dores. O silêncio nos deixa sentir a vibração do espírito que precisa de ajuda.

  Saber ouvir é uma arte que poucos dominam, mas que todos podem aprender. Basta querer, basta cultivar a calma, frenar seus instintos e buscar se posicionar exatamente onde a outra pessoa está.

  Grandes sábios na vida não foram faladores, na verdade eles pouco falavam, falavam só quando necessário, aprenderam que ouvir é mais importante do que falar, que analisar é mais importante do que julgar e que no momento certo, com paciência, tolerância e compaixão são capazes de aconselhar sem ofender.

  Longe estamos da perfeição, mas isso não quer dizer que não possamos nos esforçar para nos aproximarmos um pouco mais dela e então um dia sermos sábios como foi Jesus, pois o mestre sempre falava no momento certo e na condição certa, assim como sabia muito bem se calar e ouvir os lamentos dos que lhe procuravam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário