quinta-feira, 5 de setembro de 2013

A voz do coração que aconselha no momento da escuridão.


  Nem sempre somos capazes de compreender a situação sozinhos, nossa vista curta e fechada pelo orgulho nos prejudica a enxergar o horizonte limpo e claro. Graças a Deus que temos amigos que nos aconselham, verdadeiros anjos da guarda que nos ajudam em nossas caminhadas.

  Os conselhos, quando vêm do coração, são ótimos auxiliadores para a descoberta de um caminho antes fechado para nós. Por vezes entramos em dificuldades nas quais não conseguimos sair sozinhos e um conselho amigo pode ser bem útil nestas situações.

  Um cuidado a se tomar é que o conselho não é uma ordem, não é a palavra final e que devemos refletir bem sobre ele. Não é porque a opinião dos outros seja comum que temos que acatá-la. Devemos sempre discernir entre o que é certo e o que é errado e por os conselhos ao seguinte teste: se eu fizer isso que estão me aconselhando, é realmente aquilo que eu gostaria que me fizessem?

  Se a resposta for sim e for sincera, então o conselho lhe é bom porque não fere e nem prejudica o seu próximo. Os bons conselhos são aqueles que querem o bem, não só o seu, mas o de todos envolvidos na situação.

  Lembremos também de que recebemos diariamente conselhos do nosso anjo da guarda, mas nem sempre lhe damos ouvidos. Isso acontece porque nos fechamos na observação das coisas da vida material e esquecemos de que há a vida espiritual, mais pura, mais desenvolvida e mais capaz de nos ofertar paz e amor. Procuremos então silenciar as nossas vozes exteriores e interiores para que sejamos capazes de ouvir a voz do amigo que nos fala suavemente à consciência.

  Hoje, você pode estar recebendo um lindo conselho que lhe será muito útil em sua vida. Amanhã, você poderá ter a oportunidade de retribuir com um conselho que fará a vida de alguém muito melhor. Lembre-se de doar aquilo que você recebe gratuitamente, o amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário