quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Um veneno que nos consome chamado ressentimento


  O ressentimento ou mágoa é um sentimento que não faz bem para ninguém. Costuma ficar escondido dentro da pessoa que ao invés de procurar resolver suas diferenças com o seu próximo, guarda para si o mal que ele lhe fizera outrora.

  Quanto mais tempo esse sentimento fica no peito, mais parece que ele dói e tal como ferrugem que ao ferro corrói, nossas energias vibracionais ele destrói. Um veneno mortal que se alastra pouco a pouco pelo corpo físico, pois o espírito expulsa todo o mal que absorveu sob a forma de doenças, donde percebemos que nossos sofrimentos se aumentam mais ainda.

  Não é fácil perdoar, nunca foi e nunca será, mas se não nos esforçarmos para fazê-lo, então estaremos fazendo mal a nós mesmos. Quem não perdoa envenena a sua própria alma e cedo ou tarde irá gritar de dor, uma dor interior que clama por libertação de um sentimento tão ruim para o ser humano, o ressentimento.

  Esforça-te a perdoar e liberta-te deste mal, logo verás que se sentirás melhor e que não valia a pena manter o sofrimento por alguém que muitas vezes nem sabe que te magoou.

  Quando nos livramos do ressentimento, crescemos moralmente e superamos nosso algoz, dando exemplo ao que nos fez algum dia um mal, de que o perdão e o amor são o melhor caminho para a paz interior.

2 comentários:

  1. Belo texto Igor! O perdão é muito bom para quem o recebe, mas para quem o dá é muito melhor, uma vez sendo que o perdão é libertador, você não só libera o outro da culpa, mas tb liberta-se das amarras do ego, do orgulho ferido...
    Vale ressaltar tb a questão do auto perdão, antes de qualquer coisa, perdoarmos a nós mesmos, aceitar que somos falhos e podemos errar, afinal ninguém é perfeito e estamos aqui para aprender. Se não perdoarmos a nós mesmos, e aceitarmos nossos erros e entender que em algum momento vamos falhar, não vamos conseguir perdoar o outro. Se não nos amarmos, não vamos conseguir amar o próximo.
    Se ao invés de aceitar a ofensa e a tomarmos para nós, pudéssemos refletir sobre os motivos que levou o outro a agir de tal maneira, talvez fosse mais fácil. Não há pq tomar para vc algo que não lhe pertence, que não foi te dirigido, lembro que das vezes que magoei alguém mesmo sem querer, o problema era comigo, não com o outro. Se alguém te ofende, o problema é dele, não seu.
    Acredito que na vida não há algoz ou vítima, na maioria das vezes nós somos o nosso próprio algoz.
    Abraços Igor e tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thairys, é bem verdade o que disse, muitas vezes somos o próprio algoz, mas em outras é possível que sejamos vítimas sim. O importante é não se fazer de vítima e compreender que todos somos imperfeitos, liberando a pessoa para seguir seus caminhos, perdoando-a e amando-a do jeito que ela é.

      Abraços fraternos!

      Excluir