terça-feira, 5 de novembro de 2013

Poema - A Difícil Mudança do Convertido ao Cristianismo


  Se no passado você era contra,
e muito se recorda de negar,
falar-lhe sobre o Cristo era uma afronta,
você nem podia isso tolerar.

  Seus amigos sempre simpatizavam,
com ideias que não faziam bem,
em maus vícios e atitudes eles se entregavam,
nem pensavam em ajudar alguém.

  Mas Deus é paciente com todos,
espera os filhos despertarem da ilusão,
pois o mundo terreno é cheio de engodos,
que atraem-nos para um forte turbilhão.

  No sofrimento é comum clamarmos,
pedirmos perdão pelo tempo perdido,
não adiantará então reclamarmos,
Deus sabe quem está arrependido.

  Na mudança de opinião e atitude,
os que no passado te acompanhavam,
cometendo erros em grande amplitude,
agora apenas lhe abandonaram.

  Te criticam por seguir um carpinteiro,
simples e humilde de coração,
só porque Ele pôs o mundo inteiro,
em pensamentos que geraram confusão.

  Mas lembra-te de que o Cristo não te abandonou,
mesmo quando você virava-lhe as costas,
quantas vezes você Dele debochou,
mas Ele sempre bateu às tuas portas.

  No novo caminho, o passado não se apagará,
fixa-te na vontade de os erros evitar,
porque senão o sofrimento voltará,
no coração que não estiver pronto para amar.

  Não junte-se aos fanáticos da religião,
não queira obrigar ninguém a mudança,
é preciso respeitar cada irmão,
pois no passado essa foi a causa da matança.

  Assim como você, muitos se perderam,
cada um tem seu tempo e o Pai é paciente,
não se esqueça que vários já se converteram,
por meio de exemplos de ação beneficente.

  Junta forças para seguir em frente,
seja reto e pondera nas decisões,
nesse mundo ainda há muita gente,
curando as feridas dos próprios corações.

  Uns vão lhe entender,
outros vão lhe condenar pelo passado,
Jesus não agradou a todos pelo seu proceder,
mas nem por isso deixou de ser amado.

  A vitória do verdadeiro Cristão,
está na mudança de atitudes e pensamentos,
buscando reformar dentro do seu coração,
removendo todos os dias os maus sentimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário