terça-feira, 12 de novembro de 2013

Poema - Qual é o teu fruto?


 É pelo fruto que se reconhece,
a árvore que o fruto nos oferece,
então se bom for o fruto,
não haverá um gesto bruto.

  No evangelho da elucidação,
encontramos diversas repetições,
desta maravilhosa lição,
sobre o que semear às multidões.

  Entendamos a boa árvore,
como sendo um humilde servidor,
que ao invés de um coração duro como mármore,
possui a maciez do bondoso doador.

  Que coisas boas podemos esperar,
daquele que semeia gestos honestos,
seu exemplo o mundo vem a tocar,
pois bons são os exemplos dos retos.

  É preciso cada nova ação qualificar,
pois sendo a árvore ainda muito má,

o sentimento do mal irá predominar,
no fruto em que na sua copa nascerá.

  Se a árvore é bondosa,
só coisas boas dela virão,
o fruto de forma gloriosa,
consolará até um triste coração.

  E como semente que se joga no solo,
o fruto se espalha rapidamente,
igual a cabeça que se deita no colo,
da criança que recebe afeto carinhosamente.

  Por isso é importante observar,
nossas atitudes que no fundo exibem,
os sentimentos que estamos a comportar,
pois é dentro de nós que ali residem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário