sexta-feira, 7 de março de 2014

Cada um dá aquilo que tem.


  Quando o trabalhador está pronto, o serviço aparece! Essa regra que Deus aplica em nossas vidas é uma prova de que todos podem trabalhar no auxílio ao próximo, mas necessário se faz que nos preparemos primeiro.

  A espiritualidade carinhosamente nos chama ao estudo diário, às reflexões sobre o evangelho, aos debates saudáveis entre os amigos de comum ideal, não para nos sobressairmos, mas para humildemente aprendermos uns com os outros.

  Em diversas obras espíritas, aprendemos que cada um pode dar aquilo que possui, mas não pode dar mais do que possui. Como esperar que um copo d'água que está pela metade possa nos dar o equivalente a um copo completo d'água? Se na física já notamos tal relação, na vida espiritual não seria diferente.

  Muitas vezes quando um candidato a futuro trabalhador deseja iniciar nos serviços da caridade, ele se questiona sobre o que tem para oferecer e se realmente tem condições de ser útil. Este questionamento é sábio e de certa forma muito nobre ao demonstrar a humildade de coração, mas nos chama a reflexão sobre o fato de que o trabalhador sincero e dedicado de coração pode doar muito mais do que é capaz de ver.

  Muitas vezes o pouco que temos é muito para quem sofre e não me refiro somente aos bens materiais, mas também ao conhecimento, à paciência, ao amor, ao tempo, ao ombro amigo.

  Quem quer iniciar, deve esforçar-se para superar suas barreiras causadas pelas imperfeições, deve manter-se em constante estudo e trocas de informações com irmãos mais adiantados moralmente, mas nunca deve temer, pois tudo na vida é aprendizado e logo os erros iniciais serão suprimidos pela boa vontade e pelo coração humilde do bom trabalhador.

  Quanto mais amor enchermos nosso coração, mais amor teremos para compartilhar. Necessário é que o trabalhador esqueça de suas aflições em casa, que se entregue de coração à caridade, para que possa beneficiar a todos, inclusive a ele mesmo.

  E a medida em que estudamos, conhecemos mais sobre Jesus e sobre sua doutrina de amor, nos tornamos cálices contendo o seu vinho da paz e viramos instrumentos de Deus para a semeadura.

  Quem se julgar incapaz de um dia fazer um trabalho do bem, este está na verdade perdendo valiosa oportunidade de provar a si mesmo que todos podemos amar, doar e auxiliar, na medida daquilo que temos dentro de nós e que todos podemos melhorar para crescermos no caminho que nos leva ao amor incondicional e fraternal que Jesus tanto nos convidou no passado e que agora nos presenteia com a oportunidade de exercitarmos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário