segunda-feira, 31 de março de 2014

O que eu realmente quero.


  Eu queria ser um pouco mais forte, para nunca ter magoado alguém e ter resistido às ofensas.
  Eu queria ser um pouco mais calmo, para nunca ter apressado as coisas e ter meditado e refletido antes de agir.
  Eu queria ser um pouco mais simples, para ter aproveitado melhor as pequenas coisas da vida e ter aprendido a agradecer pelo que recebi.
  Eu queria ser um pouco mais alegre, para nunca ter despertado de mau humor e contaminado os que comigo convivem levando más vibrações à eles.
  Eu queria ser um pouco mais amoroso, para ter retribuído melhor o amor que Deus tem por mim, reconhecendo que tenho mais do que necessito para viver.
  Eu queria ser um pouco mais atento, para perceber que a minha dor não é a única e nem a maior que existe, sabendo que há gritos mais altos, fomes mais agudas e doenças mais dolorosas.
  Eu queria ser um pouco mais sábio, para entender de vez que só a caridade com amor pode me tornar uma pessoa melhor, porque fé sem ação é como pão sem fermento, não cresce na forma do coração.
  Eu queria ser um pouco mais presente, para não ter desperdiçado tantas horas da minha vida longe da família, na busca desenfreada pela ilusória riqueza de algumas horas extras no trabalho, deixando de colher o verdadeiro tesouro da alma que não é perecível como o é o dinheiro do mundo.
  Eu queria ser um pouco mais iluminado, para levar a luz do meu coração aos lugares onde ainda há trevas, medo e sofrimento, abrindo nas mentes perturbadas a porta do esclarecimento e mostrando a estrada da redenção.
  Eu queria ser tudo isso e muito mais, mas eu não sou ainda. Sei que tenho longa caminhada a percorrer. Sei que preciso continuar me esforçando e não vou desistir, por mais longa que seja a estrada da reforma interior.
  Eu descobri que Deus quer o mesmo que eu quero, que eu seja uma pessoa melhor a cada dia. Só essa noção de apoio que tenho de um Pai tão generoso já me encoraja a não desistir.
  Tantas foram as vezes que me questionei sobre quantas imperfeições ainda tenho a corrigir e poucas foram as que consegui superar, mas o que mais me anima é que ao menos algumas já ficaram para trás e, se já consegui isso, é um passo para frente, é uma amostra do que me espera no futuro, é um sinal de que eu posso ir mais longe.
  Tudo o que eu queria, nem sempre foi o que eu precisava e compreender isso, é aceitar que tudo tem o tempo certo. Se eu tentasse apressar essa mudança, talvez ela não acontecesse da forma correta, mas Deus na sua sabedoria me ensinou a esperar, me educou com paciência e me conduziu até aqui, nesse tempo, nesse lugar, nessa morada abençoada de oportunidades de melhorar.
  Antes eu apenas queria ser melhor, hoje eu tenho certeza de que eu realmente quero e que amanhã eu serei uma pessoa melhor,  um irmão melhor para o meu próximo, um filho melhor para Deus, um cristão melhor para o mundo, porque eu não desisti da caminhada, apenas meditei um pouco, retomei fôlego, entendi os tropeços e agora me levanto para seguir adiante, com fé e carregando uma sacola de sementes de amor extra, para ir semeando no caminho, não importa por onde eu passe, mas sim o que eu ali faça para o bem de todos.
  Quem quiser, pode se juntar a mim, caminharemos juntos, semearemos juntos, de mãos dadas, com lágrimas de alegria, sorrisos de esperança, canções de vitórias e ares de crianças que vivem para amar e serem amadas.

2 comentários:

  1. Linda reflexão!
    E dentre muitas coisas que eu também queria, destaco: "Eu queria ser um pouco mais sábio, para entender de vez que só a caridade com amor pode me tornar uma pessoa melhor, porque fé sem ação é como pão sem fermento, não cresce na forma do coração."
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo seu carinho, pela sua visita e pelo seu belo comentário! Abraços fraternos!

      Excluir