quarta-feira, 4 de junho de 2014

Os tesouros da alma.


  De posse de ouro, jóias, bens materiais que lhe serviram de luxo enquanto encarnado, o homem ao abandonar o corpo físico nada leva consigo. O desapego precisa ser praticado tanto para os bens materiais quanto com as pessoas com quem convivemos. No retorno à pátria espiritual estaremos de posse do conhecimento e dos sentimentos, nada além disso.

  De que lhe adiantou então acumular tantos bens sem poder usufruí-los após a morte? De nada, na verdade, o acúmulo para si lhe servirá apenas de lição de que agiu errado ao não compartilhar com o próximo. Quantos colecionadores se arrependem de terem guardado suas coleções raríssimas apenas para exibição e ostentação durante a vida terrena. Já no plano espiritual, choram pelo orgulho e pela vaidade que lhes tomou conta.

  Ao corpo pertence o que é matéria, ao espírito, pertencem as virtudes, a inteligência a nossa moral. No plano espiritual teremos a chance de mostrarmos nossa evolução e de nada adiantará querer guardar um lugar no céu com teu ouro ou teu dinheiro, somente terás algo de sua posse se tiveres se aplicado no caminho do bem.

  Jesus sempre nos avisou, sempre nos deu lições de desligamento da matéria e de busca pela evolução constante da moral. O mestre não tinha nem um travesseiro para dormir e nem por isso se queixava.

  Não te digo para doar tudo o que tens e nem que é errado ter um travesseiro confortável, tão pouco lhe digo para guardar tudo como quem preserva entulhos em "quartos de bagunça", mas em verdade lhes recomendo, vai e compartilha o teu supérfluo porque ele não lhe fará falta e quando ele acabar, compartilha também o teu necessário, pois no teu necessário ainda há muito supérfluo.

  Tem gente que diz que falta dinheiro para comprar o pão, mas não deixa de manter o serviço de internet, outros dizem que não conseguem comprar uma roupa nova, mas não deixam de comprar um celular novo, há quem diga que não tem condições de pagar uma escola para seu progresso, mas insiste em gastar nos fins de semana com bebidas e baladas. É importante notar que Deus provê o necessário para nossa sobrevivência, nós é que acabamos por exagerar e achamos que muitas coisas supérfluas são necessárias para nós quando na verdade não são.

  Nosso adiantamento moral pode ser ampliado e agilizado se nos esforçarmos nesse caminho de desapego. Temos muito a refletir aqui.

  Todos podem e devem fazer bom uso dos bens materiais que lhes são concedidos, mas entenda que não devemos adorá-los. Ter um carro para o seu conforto e para diminuir a distância não significa que se um dia não o tiver mais que o mundo acabará. O que nos é concedido é apenas um empréstimo, nada aqui é nosso. Da mesma forma que Deus concedeu, Ele pode tirar de nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário