terça-feira, 23 de setembro de 2014

Espírito e a sua relação com o sexo.


  Primeiramente vamos elevar a palavra sexo ao sentido de "reprodução", pois prazer é apenas uma forma de estimular um indivíduo ao ato sexual.

  Haja visto que a reprodução somente ocorre entre os indivíduos encarnados, não existirá sexo entre os desencarnados, pois o espírito não procria, não precisa dar continuidade a sua espécie. O espírito é imortal e indivisível, segundo orientações trazidas pelo Livro dos Espíritos.

  Agora, vejamos o sexo no sentido relacionado ao prazer.

  Um espírito de luz é liberto dos desejos da carne, portanto não requer os prazeres momentâneos e não precisaria reproduzir o ato sexual, portanto, todo espírito superior não pratica sexo.

  Mas, entre as entidades que habitam o umbral e que estão presas aos prazeres da carne, há o ato sexual muito mais promiscuamente do que você possa imaginar.

  Assim como há o consumo de drogas (um espírito absorve a sensação da droga no encarnado e não a droga física em si), como há roubos, como há tantas coisas materiais que espíritos inferiores no conhecimento ainda praticam, há também o ato sexual numa tentativa de se manter ligado aos desejos e sensações materiais.

  Nos livros de André Luiz e de diversos autores encontramos relatos de espíritos que são prostituas lá no plano espiritual. Espíritos que são viciados em sexo e não conseguiram se libertar disso. Irmãos que abusaram do uso do órgão sexual enquanto encarnados e como consequência ligaram-se, ou melhor, fundiram-se ao desejo sexual e ainda o buscam freneticamente.

  Nesse aspecto, haveria sexo sim, mas está longe de ser relacionado com a reprodução, pois como eu disse, o espírito não precisa reproduzir quando não estiver mais encarnado.

  Há um terceiro ponto a ser analisado. A palavra "sexo" aplicada como "gênero".

  Já sabemos e repito para quem não sabe que um mesmo espírito pode reencarnar como homem ou mulher, apesar de não possuir sexo definido como espírito. Sendo assim, o gênero "masculino" ou "feminino" é determinado no momento do encarne ou reencarne e muitas vezes após o retorno ao plano espiritual (processo de desencarne), o espírito conserva a aparência derradeira que possuía, mostrando-se portanto com o gênero que havia encarnado pela última vez.

  O espírito é assexuado (não tem sexo), pouco importa se ele se apresenta com a aparência de homem ou de mulher, com voz fina ou grossa, se é gordo ou magro, pois isso são detalhes que apenas aborrecem os menos evoluídos. Quanto mais puro, mais parecido com a centelha divina ele será.


  Há muitas coisas ainda que precisamos aprender sobre nós mesmos e que talvez ainda não tenhamos a capacidade de compreender. Mas isso não nos impede de buscar o conhecimento e analisar a informação. Você pode aceitar isso que foi dito como verdade ou pode se interrogar se haveria explicação melhor, o fato é que nada sabemos se comparado com a verdade universal da criação da vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário