quinta-feira, 30 de outubro de 2014

O templo de Deus.


  Você sabe onde Deus está? Será na sua igreja, no seu centro espírita, na sua casa?

  Eu conheço uma pessoa, e dela posso falar muito bem, que retrata a realidade de muitos de nós. Em sua busca por um lugar agradável para o estudo do evangelho, muitas igrejas já foram frequentadas.

  Ela começa a frequentar um local, gosta, passa alguns meses e decide conhecer outro. Gosta, abandona o anterior e passa a frequentar o atual. E assim vai, de igreja em igreja, de templo em templo.

  Cada local possui o seu pastor, padre ou palestrante. Cada um ensina segundo o seu próprio entendimento, porque somente podemos dar aquilo que temos em nós. Ninguém pode ensinar matemática se apenas conhece biologia. Por isso, ensina-se o evangelho conforme ele foi aprendido, cabendo a cada um de nós fazermos uma reflexão sobre o ensinamento e extrairmos o que há de melhor nos ensinamentos transmitidos a nós.

  Se, podemos então fazer interpretações diferentes, eis ai um ponto a ser repensado, pois Deus "escreveu" seus ensinamentos por intermédio de homens, os quais podem tê-los passado para o texto bíblico segundo a capacidade de cada um em compreende-los. Isso aconteceu porque nós temos que ter o mérito do aprendizado e Deus, em sua infinita bondade e sabedoria, deseja que nós progridamos por nosso próprio esforço. Se os homens que receberam o ensinamento dado por Deus tiveram todo esse trabalho de entender e repassa-los para toda a humanidade mesmo sendo seres muito imperfeitos ainda, será que podemos crucificar um pastor, padre ou palestrante por ter compreendido esses ensinamentos de forma divergente da nossa? Será que a nossa interpretação é a mais correta?

  Agora que já falamos dos locais e das pessoas que doutrinam eu posso chegar no ponto que queria. A interpretação do evangelho é sua, ela acompanha você aonde quer que você vá e a responsabilidade do entendimento e do bom uso desses ensinamentos é toda sua. Isso significa que o templo de Deus não habita construções físicas como igrejas, centros, terreiros, templos de pedra e mármore, nem habita a boca dos pastores, padres, palestrantes e líderes religiosos. O templo de Deus habita o coração de cada um, residindo mais precisamente nos sentimentos que nós temos e é a pureza desses sentimentos que nos garantem a melhor interpretação dos ensinamentos Cristãos.

  Não adianta visitar dezenas de locais religiosos se você, eu e todos os que conhecemos insistimos em não absorvermos os ensinamentos lá ministrados, filtra-los pelo crivo da razão, envolve-los pelos sentimentos do coração e pratica-los como bons Cristãos.

  Não é o que entra pela boca que faz mal, mas sim o que dela sai. É o coração que precisa estar em ordem, cheio de amor, humildade e alegria para que Deus possa estabelecer ali, isso mesmo, ali dentro o Pai cria o reino dos céus em nossas escolhas, em nossos pensamentos, afinal, cada um de nós somos filhos do mesmo Pai.

  Por isso as religiões dividem os homens, enquanto que o amor os une. Porque a religião é do homem, o amor é de Deus.

  E você, como tem cuidado do seu templo divino?

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Renovar-se. (por Samara Cristina)



Choras como se fosse a ultima lagrima da sua alma,
Mais porque? Conhece o caminho, sabe onde encontrar o remédio,
Mas ainda preferes se torturar, ainda preferes buscar a dor,
Sabes que tens o livre arbítrio, podes escolher,
Choras de felicidade, ou choras com a dor.

O evangelho de Jesus é como uma bussola,
Nos guia, nos ajuda a encontrar um caminho quando,
Caminhamos perdidos em tempestade criada por nós mesmo,
Qual a finalidade de chorar tanto?  Porque ainda insistimos em sofrer,
Sabemos que não caminhamos sozinho, que nosso amigo celestial,
Sempre está do nosso lado.

Levanta-te, abra seus olhos e procura o horizonte com tua alma,
Busque a força no Pai, ele te guia, ele te consola,
O Pai é justo, ele é bondoso, porquanto se tu passa por isso,
É porque é necessário para tua evolução como espirito eterno.

Veja este sofrimento como um recomeço, uma oportunidade,
Não se torture mais com os problemas de tua vida,
Pare agora, respire e inspira, Quantas vezes for preciso,
Faça uma prece, não deixe tua alma se afogar em tuas lagrimas.

Mergulhe tua alma no evangelho renovador,
Mergulhe tua vida no amor perfeito e real,
Se banhe de sentimentos de benéficos,
E ouve a harmonia da mais perfeita sintonia da natureza. 

Aprendas a viver em harmonia consigo mesmo,
Em equilíbrio, e caminhe, caminhe sem medo,
Caminhe com o coração cheio de esperança,
Não chores mais, sinta o abraço que vem de Deus,
Sinta o amor, o aconchego o carinho de teu anjo amigo.

Respire, respire, respire.... Inspire,
Sinta este ar renovador, esta luz que se aproxima de ti,
Sinta- se em paz, busque-a,
Limpe seus olhinhos e enxergue o horizonte que se aproxima.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Bens materiais.


  Bem material é tudo o que podemos fazer uso nesta encarnação. Eles fazem parte do plano material e são os recursos utilizados pelo espírito para o progresso moral e intelectual.

  O uso destes bens é de responsabilidade de cada um, pois tudo nos é lícito, mas nem tudo nos convêm. Não nos é errado investirmos numa casa nova, nem num carro novo, tão pouco em comer um alimento diferente do que se come no dia a dia, o que é errado é o excesso e a luxúria, isso porque nos causam males que somente percebemos depois de que a ação foi realizada.

  É depois que se gasta o dinheiro que se percebe se sua aplicação foi positiva ou negativa. Se foi egoísta ou se permitiu compartilhar com o próximo a alegria de se adquirir um bem útil a todos. Se foi ambicioso e gastou mais do que podia ou devia. Se foi guloso e comeu mais do que precisava ao ponto de passar mal. O fato é que todo bem material está aqui para ser usado, e nós precisamos aprender a usá-los da melhor forma possível, com equilíbrio e consciência.

  Não devemos depositar o nosso coração nas coisas materiais, até porque elas não são eternas e logo perceberemos que nos iludimos. Depositemos o nosso coração nas coisas espirituais e compreendamos que todo recurso material nos é útil, mas em sua grande maioria, supérfluo.

  Quem tem algo, tem também a oportunidade de compartilhar e exercitar o amor com quem não tem nada. Em tudo o que Deus nos concedeu é possível observarmos a oportunidade de aplicarmos para o bem, para isso basta querermos fazer o bem.

  Se você sofre por não ter algo, lembra-te de que você viveu até aqui sem o ter e por isso não tem que reclamar, pois você continuará sua caminhada com ou sem esse bem material. Isso não lhe impede de estudar e trabalhar para progredir materialmente, apenas tenha em mente que sofrer por isso não é bom, pois representa o domínio do apego e por conseguinte a necessidade da observância dos pensamentos equivocados e das atitudes prejudiciais.

  Já observou como é difícil para um rico abrir mão de sua riqueza? É esse apego que nos leva a refletirmos sobre que tipo de uso estamos fazendo do que nos foi concedido como empréstimo. Sim, é apenas um empréstimo, pois tua casa não é tua, teu carro não é teu, tua roupa não é tua, afinal, qual destes bens materiais iremos levar daqui quando desencarnarmos?

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

A Série Psicológica de Joanna de Ângelis - Módulo 11 - Aula 3 - A Conquista da Saúde


  Seguimos com a 3ª aula do 11º módulo do curso oferecido por Cláudio Sinoti e Iris Sinoti.

  O tema deste módulo é "Encontro com a Saúde".

  Esse vídeo está disponível no youtube e este blog está apenas compartilhando-o afim de reunir num só lugar todas as vídeo-aulas, facilitando assim o estudo desta maravilhosa obra.

  O menu contendo todos os vídeos já publicados fica do lado direito do blog, no banner "Estudo online da doutrina Espírita" ou você pode acessá-lo neste link aqui: estudos.


Fonte: TVCEI

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Grupo Amigos do Bem.


  Você gosta de conversar sobre coisas alegres? Sente vontade de desabafar e compartilhar experiências? Tem afinidade com trabalhos de caridade e solidariedade? Que tal se houvesse um grupo de conversação sobre este tema?

  A ideia me veio a mente durante uma reunião de estudos do evangelho. Notei o prazer das pessoas em falarem sobre coisas boas, assim como entendi a importância de apresentarmos diferentes pontos de vista para o crescimento mútuo, numa conversação saudável.

  O que acha de participar então de um grupo de conversação diária onde poderemos falar o que fizemos de bom durante o dia, questionar os amigos se eles teriam agido da mesma forma, refletirmos com o olhar para fora de nós afim de aprendermos a compreender o ponto de vista do próximo e com isso progredirmos moralmente e intelectualmente?

  O conceito é simples, não envolve religião alguma, apenas uma conversa despretensiosa na qual iremos ajudar uns aos outros. Formaremos uma corrente do bem com bons pensamentos, com ótimas vibrações. Podemos fazer isso via skype, não é preciso ter webcam não, basta usarmos o simples recurso da digitação.

  A disponibilidade inicial será de segunda à sexta às 22:30h, podendo no futuro montarmos um grupo noutro horário.

  Aceito sugestões e dicas, desde que venham para agregar boas coisas e espero que você venha participar.

  Se estiver interessado, deixe um comentário no blog www.serenaluz.com com o seu endereço de e-mail. Não se preocupe que o comentário não será publicado e o seu e-mail ficará somente entre nós dois.

  Creio que o mais importante é aprendermos a trocar essas experiências, aprendermos a desenvolver novos olhares sobre as questões da vida, deixarmos de lado esse medo que muitos ainda têm de dizerem e assumirem que são praticantes do bem, por terem receio de serem criticados por pessoas pessimistas e negativas quanto ao futuro da humanidade.

  Aguardo o seu contato!

A Série Psicológica de Joanna de Ângelis - Módulo 11 - Aula 2 - Psicossomática


  Seguimos com a 2ª aula do 11º módulo do curso oferecido por Cláudio Sinoti e Iris Sinoti.

  O tema deste módulo é "Encontro com a Saúde".

  Esse vídeo está disponível no youtube e este blog está apenas compartilhando-o afim de reunir num só lugar todas as vídeo-aulas, facilitando assim o estudo desta maravilhosa obra.

  O menu contendo todos os vídeos já publicados fica do lado direito do blog, no banner "Estudo online da doutrina Espírita" ou você pode acessá-lo neste link aqui: estudos.


Fonte: TVCEI

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Os incircuncisos de hoje.


  Nos dias de hoje, ainda encontramos alguns credos que fazem exigências quanto a certas coisas materiais que nos deixam por vezes com um ponto de interrogação na cabeça: será que isso é importante?

  Vemos que há os que devem deixar o cabelo comprido, usar saias longas, não passar maquiagem senão não entram no templo ou na igreja. Há os que devem raspar a cabeça como forma de cumprir um determinado ritual. Mas até onde a aparência é capaz de influenciar na conduta moral?

  Retomemos o texto de Paulo de Tarso na carta escrita para os romanos: "A circuncisão, de fato, só é de proveito se praticares a lei." Romanos 2:25. Ainda no mesmo trecho, ele nos fala: "Portanto, se um incircunciso guardar as exigências justas da lei, não será a sua incircuncisão considerada circuncisão?".

  O que Paulo, a 2000 anos atrás, queria nos dizer é que todos nós, gordos e magros, feios e bonitos, alejados ou perfeitos, com tatuagens ou sem tatuagens, com cabelo comprido, curto ou careca, podemos conquistar o amor de Deus se praticarmos o que o Pai nos pediu nos mandamentos, amando-o acima de tudo e amando o próximo como a si próprio.

  Quanto mais evoluído espiritualmente o indivíduo se torna, menos preso às coisas materiais ele será e por conseguinte, menos importância à aparência ele dará, porque já dizia Jesus: Não é o que entra pela boca que é impuro, mas o que dela sai. O mestre avisou-nos de que a boca fala aquilo que o coração está cheio e se o teu coração estiver cheio de ódio e mágoa, de que adianta se vestir segundo as exigências religiosas se Deus conhece o teu íntimo cheio de trevas?

  Ninguém será cobrado no reino dos céus pelo uso de uma vestimenta segundo a religião que professa, mas todos serão cobrados do uso que fizeram do seu livre-arbítrio, das escolhas do bem e do mal, das oportunidades perdidas ou aproveitadas, do amor que cultivou em si e nos corações ao seu redor.

  Desapega-te das aparências e deixa que a tua luz interior brilhe mais do que a tua aparência exterior. Ama incondicionalmente e respeita o teu irmão, afim de que o bem se propague pelo exemplo de boa conduta.

  Curiosamente, na carta para os Corintos, Paulo de Tarso diz que se uma mulher orar com a cabeça descoberta, ela estará em pecado. Acredita-se que é daí que veio essa crença da necessidade de se ter cabelo comprido ou se usar um véu na cabeça durante as orações na atualidade. Devemos compreender que, apesar do esforço para desapegar aquele povo da matéria, Paulo não podia ir contra a crença da época e por isso buscava levar a boa nova do Cristo Jesus tentando conciliá-la com as exigências do Judaísmo e dos costumes locais. Assim, compreendemos que não é uma contradição de dizeres, mas sim uma adaptação para que os menos esclarecidos e ainda fanáticos religiosos pudessem desfrutar da mesma oportunidade de conhecerem os ensinamentos de Jesus.

  No livro "Paulo e Estevão", o qual tem um bom trecho narrado na bíblia também, conhecemos em detalhes a história destes dois personagens tão importantes da semeadura do cristianismo nos corações endurecidos de Israel e ao seu redor. Paulo, antes um caçador de cristãos, se converte diante da aparição de Jesus na estrada de Damasco, segue depois ensinando o amor e a caridade, distribuindo a paz e compartilhando a boa nova. Em vários trechos do livro nos deparamos com um homem que tinha dificuldades de se desvencilhar de sua natureza orgulhosa do passado, pois Paulo era Fariseu e se achava acima de tudo e de todos antes de se render ao amor do mestre. Nessas reminiscências de suas imperfeições, vemos Paulo discutir várias vezes sobre a questão da "circuncisão" e calorosamente defender que ela pouco importava. Isso foi necessário naquela época, mas hoje, mais maduros e desenvolvidos intelectualmente, somos todos capazes de compreender isso sem que alguém tenha que se impor a nós, sem que alguém tenha que nos provar que estamos errados. Por isso, respeitemos aquele que ainda não percebe que não é o físico que importa, mas sim o moral, pois chegará o dia em que essa pessoa irá compreender isso e então decidirá que caminho quer seguir.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

A Série Psicológica de Joanna de Ângelis - Módulo 11 - Aula 1 - Saúde x Doenças


  Iniciamos hoje o 11º módulo do curso oferecido por Cláudio Sinoti e Iris Sinoti.

  O tema deste módulo é "Encontro com a Saúde".

  Esse vídeo está disponível no youtube e este blog está apenas compartilhando-o afim de reunir num só lugar todas as vídeo-aulas, facilitando assim o estudo desta maravilhosa obra.

  O menu contendo todos os vídeos já publicados fica do lado direito do blog, no banner "Estudo online da doutrina Espírita" ou você pode acessá-lo neste link aqui: estudos.


Fonte: TVCEI

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Vibração de amor.


  Vibra em amor,
fala com brandura,
afaga uma flor,
num gesto de ternura.

  A água se transforma,
quando o pensamento ou a fala,
emanados de certa forma,
sua molécula abala.

  Se a palavra é agressiva,
o animalzinho se retrai,
e de forma compreensiva,
de perto de nós ele sai.

  A planta cresce vistosa,
exibe cor, forma e cheiro agradável,
se a alegria for grandiosa,
e despendida por pessoa amável.

  Quem nunca viu a pimenteira,
secar só com um olhar pesado?
Essa é a mais fácil maneira,
de percebemos o efeito do mal olhado.

  Desde as células nós vibramos,
seja amor ou seja ódio,
isso depende do que nós exercitamos,
desde o nascimento até o velório.

  Escolhas tu o que desejas,
afim de modificar o teu ambiente,
é o amor que tu ensejas,
ou é o sofrimento latente?

  O pensamento tem poder,
a palavra tem mais ainda,
se o pensamento revela o querer,
a palavra vem e o materializa.

  Vibra amigo, vibra amor,
por onde passar deixe a paz,
joga fora toda essa dor,
Jesus já nos mostrou como é que se faz.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Indulgência. (por Samara Cristina)


Indulgencia sentimento doce e fraternal,
Que faz do ser que a possui,
Ser calmo, sereno, feliz,
Esta é uma pratica de amor e caridade.

Compreende a falta do próximo,
E não julga, não ofende,
Compreender é amar, e amar,
Este é o sentimento que deve
sustentar os corações.

Seja indulgente para com as fraquezas
Do próximo e severo convosco,
Todos nós temos maus pendores a vencer.
Defeitos e hábitos a corrigir...
Ser indulgente é amar.

Bendita doutrina é o espiritismo!
Ensina, consola... Feliz é aquele
Que conhece e se esforça,
Pratica a caridade do coração,
Caridade para com o próximo.

Ah, caridade é verdadeira grandeza da alma,
A caridade para com todos,
E amar a Deus sobre todas as coisas.
E o próximo como a si mesmo.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

A Série Psicológica de Joanna de Ângelis - Módulo 10 - Aula 3 - Libertação do sofrimento


  Seguimos com a 3ª aula do 10º módulo do curso oferecido por Cláudio Sinoti e Iris Sinoti.

  O tema deste módulo é "O Sofrimento".

  Esse vídeo está disponível no youtube e este blog está apenas compartilhando-o afim de reunir num só lugar todas as vídeo-aulas, facilitando assim o estudo desta maravilhosa obra.

  O menu contendo todos os vídeos já publicados fica do lado direito do blog, no banner "Estudo online da doutrina Espírita" ou você pode acessá-lo neste link aqui: estudos.


Fonte: TVCEI

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

A Série Psicológica de Joanna de Ângelis - Módulo 10 - Aula 2 - Finalidade do Sofrimento


  Seguimos com a 2ª aula do 10º módulo do curso oferecido por Cláudio Sinoti e Iris Sinoti.

  O tema deste módulo é "O Sofrimento".

  Esse vídeo está disponível no youtube e este blog está apenas compartilhando-o afim de reunir num só lugar todas as vídeo-aulas, facilitando assim o estudo desta maravilhosa obra.

  O menu contendo todos os vídeos já publicados fica do lado direito do blog, no banner "Estudo online da doutrina Espírita" ou você pode acessá-lo neste link aqui: estudos.


Fonte: TVCEI

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

As doenças que nos afligem.


  Não é de hoje que encontramos doenças que nos afligem como por exemplo a situação atual com o Ebola. Elas nos causam dores, sofrimentos, humilhações, nos colocam numa posição inferior, de quem só pode pedir ajuda porque não é capaz de vencer sozinho este mal.

  Que bom que há doenças!

  Você deve achar que estou louco, não é mesmo? Pois não estou! A doença é uma ferramenta que Deus criou para a depuração do espírito. Ora, o orgulhoso jamais desceria do seu pedestal se não fosse derrubado de lá por uma força maior. O revoltado nunca aprenderia a cultivar a paciência se não enfrentasse uma situação em que ele nada pode fazer senão esperar.

  Como todo espírito que aqui habita possui ainda imperfeições a serem corrigidas, a doença vem como um tratamento de choque para o aceleramento desse processo evolutivo.

  Quando nos deparamos com um caso de epidemia ou pandemia, encontramos vários pontos positivos em meio a tanto sofrimento. Observemos a reação das pessoas que, ainda estando saudáveis, se condoem com a situação precária do seu próximo e despertam o sentimento de amor por aquele que sofre tanto. Quantos de nós não refletimos quando vemos que alguém sofre mais do que nós? Isso mesmo, saímos de nosso mundinho egoísta e adentramos à realidade do mundo em que vivemos, percebendo que temos muito mais do que precisamos, o que inclui a saúde e a capacidade de levantarmos da cama para trabalharmos.

  A doença também tem um outro lado interessante. É por causa dela que novas descobertas da ciência surgem, novos métodos de combate aos vírus e bactérias criam equipamentos tecnológicos que logo se tornam aliados do bem estar diário do ser humano. Um exemplo é um robô que emite raios UV com uma intensidade maior do que a que recebemos do sol e por isso consegue eliminar 99% dos vírus. Talvez, um dia, esse recurso possa nos ajudar a erradicarmos os vírus da Terra.

  A dor e o sofrimento que as doenças trazem também aproximam aqueles que estavam brigados. Sabendo que há a possibilidade de desencarne, o ser humano se torna humilde e reconhece que é melhor aproveitar o tempo que ainda pode permanecer ao lado dos que um dia teve alguma desavença, ao invés de levar as mágoas consigo, no seu coração, para o outro lado da vida.

  Sei que muitos ainda vêem a doença como algo terrível, mas lembremos que a beleza está nos olhos de quem vê e cabe a cada um de nós analisar se o ponto de vista que temos sobre o tema é o melhor ponto de vista que podemos adotar. Você prefere cultivar pensamentos ruins sobre isso ou prefere se esforçar em ver as boas mudanças que ela traz?

  Não nos esqueçamos de praticar a oração e pedirmos pelo alívio das dores que nossos irmãos sofrem. Afinal, a prece é um grande bálsamo para qualquer mal que nós venhamos a sofrer. E pensemos com carinho sobre o que temos feito da nossa vida afim de que não nos seja necessário sermos acometidos uma doença para nos despertar para a humildade e a caridade.

A Série Psicológica de Joanna de Ângelis - Módulo 10 - Aula 1 - As Causas do Sofrimento


  Iniciamos hoje o 10º módulo do curso oferecido por Cláudio Sinoti e Iris Sinoti.

  O tema deste módulo é "O Sofrimento".

  Esse vídeo está disponível no youtube e este blog está apenas compartilhando-o afim de reunir num só lugar todas as vídeo-aulas, facilitando assim o estudo desta maravilhosa obra.

  O menu contendo todos os vídeos já publicados fica do lado direito do blog, no banner "Estudo online da doutrina Espírita" ou você pode acessá-lo neste link aqui: estudos.


Fonte: TVCEI

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Presunção e grandeza real.


  Na relva verdejante, uma violeta colorida exalava seu perfume. Um animal invejoso, que por ali passava, a ameaçou: "Vou te esmagar e acabar com a tua beleza."
  Ela não se perturbou e respondeu: "Se me esmagares, eu te abençoarei com o meu perfume e viverei impregnada em ti."
  Na noite calma, o pirilampo divertia-se a acender e apagar sua lanterna. Sentia-se feliz em trazer os raios das estrelas nas pequenas asas.
  O sapo, que coaxava à beira da lagoa, o invejou e ameaçou: "Vou te cobrir de baba peçonhenta e vou apagar a tua luz."
  O pequenino inseto sorriu e contestou: "Se me cobrires de peçonha, eu a sacudirei toda, libertando-me. Depois, prosseguirei a brilhar."
  A flauta, recostada em um estojo de veludo, zombou de um ágil rouxinol preso em uma gaiola de madeira: "Sou maior do que tu e mais nobre. Tu estás preso em uma gaiola de madeira. Eu, repouso tranqüila em rico estojo de veludo. Sou toda de prata, passeio por mãos perfumadas e recebo os beijos do artista que me sopra. És um pobre coitado!"
  A avezinha feliz, embora prisioneira, respondeu: "Não te invejo, amiga. É verdade que és muito preciosa, bela e forte. Eu sou uma pequena ave, frágil e prisioneira.
  Apesar disso, desfruto de alegria porque posso cantar, quando queira. Não preciso esperar que ninguém me sopre." E, embevecida, pôs-se a trinar.
  A vela mal foi acesa, tremeluziu e, embora espalhando fraca luminosidade, espancou as trevas próximas.
  Orgulhosa, passou a se gabar de ter vencido a sombra.
  Uma estrela de primeira grandeza, fulgurando no infinito, prosseguiu espalhando a sua intensa luz, sem nada comentar.
  O pavio, na lamparina, dizia de forma petulante ao azeite em que estava mergulhada: "Como és pegajoso e desagradável. Nem podes imaginar o quanto te desprezo."
  O combustível, atento ao seu mister, nada disse. Continuou a servir, humilde, permitindo que a lamparina ardesse e brilhasse, porque essa era a sua tarefa. E a desejava cumprir com alegria.
  O regato corria risonho por entre as pedras miúdas. Olhando para suas margens, acusou a vegetação abundante de lhe roubar o líquido precioso.
  Mãos irresponsáveis vieram, um dia, e arrancaram violentamente toda a vegetação. O córrego sorriu, satisfeito.
  Tempos depois, sem a defesa natural que a sombra lhe propiciava, a ardência do sol absorveu a água e o regato desapareceu.
  O orgulho e a soberba são sempre ilusórios. Fenecem como a erva no campo, ante a canícula insistente.
  A humildade, por sua vez, permanece e felicita.
  Sê tu aquele cuja importância ninguém nota. Mas, quando se faz ausente, de imediato tem sua ausência percebida.
  Cumpre, assim, com o teu dever. E, não te preocupes com a presunção dos que estão enganados; daqueles que acreditam que são as criaturas mais importantes da terra.
  Continua a agir no bem, a servir sempre.
  Age com inteireza e nunca passarás, mesmo que a morte te arrebate ou te ausentes para outras paragens, por alongado tempo.
***
  Mantém acesa a luz do entusiasmo em tuas realizações e, sabendo-te fadado à grande luz, deixa que brilhem as tuas aspirações nobres.
  Se não podes ser o pão que repleta as mesas, sê o grão de trigo e confia no futuro.

Fonte: R.M.E.

A Série Psicológica de Joanna de Ângelis - Módulo 9 - Aula 3 - A Segunda Metade da Vida


  Seguimos com a 3ª aula do 9º módulo do curso oferecido por Cláudio Sinoti e Iris Sinoti.

  O tema deste módulo é "Etapas da vida".

  Esse vídeo está disponível no youtube e este blog está apenas compartilhando-o afim de reunir num só lugar todas as vídeo-aulas, facilitando assim o estudo desta maravilhosa obra.

  O menu contendo todos os vídeos já publicados fica do lado direito do blog, no banner "Estudo online da doutrina Espírita" ou você pode acessá-lo neste link aqui: estudos.


Fonte: TVCEI

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

A Série Psicológica de Joanna de Ângelis - Módulo 9 - Aula 2 - Maturidade e a Crise da Meia Idade


  Seguimos com a 2ª aula do 9º módulo do curso oferecido por Cláudio Sinoti e Iris Sinoti.

  O tema deste módulo é "Etapas da vida".

  Esse vídeo está disponível no youtube e este blog está apenas compartilhando-o afim de reunir num só lugar todas as vídeo-aulas, facilitando assim o estudo desta maravilhosa obra.

  O menu contendo todos os vídeos já publicados fica do lado direito do blog, no banner "Estudo online da doutrina Espírita" ou você pode acessá-lo neste link aqui: estudos.


Fonte: TVCEI

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Proposta reencarnatória.


  É sabido pelos espíritas que antes do reencarne, o espírito assume compromissos para consigo afim de trabalhar para o seu próprio progresso e algumas vezes ainda auxiliar no progresso de outros que com ele venham a desfrutar a experiência no plano físico. Mas como eu sei que estou cumprindo a minha proposta reencarnatória?

  Antes de mais nada, é preciso compreender que ao invés de procurarmos pensar em certo ou errado, podemos fazer uma análise mais profunda em cima dos resultados. Isso mesmo, são os resultados que irão nos dizer como estamos indo, isso porque somos tão falhos ainda em nossas atitudes e tão cegos em nossa percepção que nos é muito difícil entender o que realmente é certo e o que realmente é errado aos olhos de Deus.

  Baseado nisso, pensemos então no resultado de nossas escolhas e questione-se: Eu estou feliz com as minhas escolhas?

  Quando demonstramos descontentamento com os passos dados, entendemos que o caminhar está no sentido oposto ao que nos propusemos quando ainda estávamos na erraticidade.

  Quando estamos felizes com nossas vidas, quando entendemos que o pouco que vivemos neste plano teve um propósito benéfico e que alegra os nossos corações, eis que o caminho é bom e o objetivo está sendo atingido.

  Não se culpe pelos erros, até porque todos nós vamos errar. Esqueça os erros, não se martirize, mas busque aprender com o gosto amargo que eles nos deixam. Se esse sabor não é bom, então não o experimentemos novamente. Todo resultado ruim vem de escolhas egoístas, orgulhosas, preteniosas e materialistas. São elas que nos afastam da evolução moral e por isso precisamos enxergá-las e entendê-las, afim de conseguirmos voltar à estrada do bem.

  E você, como estão os teus resultados? Já não é hora de você se auto-avaliar e buscar se conhecer? Não espere passar a vida terrena para se arrepender no leito de morte e lamentar pelo que não fez, pois o tempo é precioso e o arrependimento por tê-lo desperdiçado é algo que ninguém quer ter.