quinta-feira, 9 de outubro de 2014

As doenças que nos afligem.


  Não é de hoje que encontramos doenças que nos afligem como por exemplo a situação atual com o Ebola. Elas nos causam dores, sofrimentos, humilhações, nos colocam numa posição inferior, de quem só pode pedir ajuda porque não é capaz de vencer sozinho este mal.

  Que bom que há doenças!

  Você deve achar que estou louco, não é mesmo? Pois não estou! A doença é uma ferramenta que Deus criou para a depuração do espírito. Ora, o orgulhoso jamais desceria do seu pedestal se não fosse derrubado de lá por uma força maior. O revoltado nunca aprenderia a cultivar a paciência se não enfrentasse uma situação em que ele nada pode fazer senão esperar.

  Como todo espírito que aqui habita possui ainda imperfeições a serem corrigidas, a doença vem como um tratamento de choque para o aceleramento desse processo evolutivo.

  Quando nos deparamos com um caso de epidemia ou pandemia, encontramos vários pontos positivos em meio a tanto sofrimento. Observemos a reação das pessoas que, ainda estando saudáveis, se condoem com a situação precária do seu próximo e despertam o sentimento de amor por aquele que sofre tanto. Quantos de nós não refletimos quando vemos que alguém sofre mais do que nós? Isso mesmo, saímos de nosso mundinho egoísta e adentramos à realidade do mundo em que vivemos, percebendo que temos muito mais do que precisamos, o que inclui a saúde e a capacidade de levantarmos da cama para trabalharmos.

  A doença também tem um outro lado interessante. É por causa dela que novas descobertas da ciência surgem, novos métodos de combate aos vírus e bactérias criam equipamentos tecnológicos que logo se tornam aliados do bem estar diário do ser humano. Um exemplo é um robô que emite raios UV com uma intensidade maior do que a que recebemos do sol e por isso consegue eliminar 99% dos vírus. Talvez, um dia, esse recurso possa nos ajudar a erradicarmos os vírus da Terra.

  A dor e o sofrimento que as doenças trazem também aproximam aqueles que estavam brigados. Sabendo que há a possibilidade de desencarne, o ser humano se torna humilde e reconhece que é melhor aproveitar o tempo que ainda pode permanecer ao lado dos que um dia teve alguma desavença, ao invés de levar as mágoas consigo, no seu coração, para o outro lado da vida.

  Sei que muitos ainda vêem a doença como algo terrível, mas lembremos que a beleza está nos olhos de quem vê e cabe a cada um de nós analisar se o ponto de vista que temos sobre o tema é o melhor ponto de vista que podemos adotar. Você prefere cultivar pensamentos ruins sobre isso ou prefere se esforçar em ver as boas mudanças que ela traz?

  Não nos esqueçamos de praticar a oração e pedirmos pelo alívio das dores que nossos irmãos sofrem. Afinal, a prece é um grande bálsamo para qualquer mal que nós venhamos a sofrer. E pensemos com carinho sobre o que temos feito da nossa vida afim de que não nos seja necessário sermos acometidos uma doença para nos despertar para a humildade e a caridade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário