sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

A perfeição é meta, mas ainda está distante!


  Desde que o ser humano teve contato com os grandes profetas do passado, inclusive o maior deles que foi o mestre Jesus, sabe-se que Deus é infinitamente bom, infinitamente poderoso, infinitamente amor e justiça e portanto é perfeito.

  Porém, entendemos que nossa capacidade atual de conhecimento e de uso do cérebro é muito limitada pra a compreensão de algumas coisas e dentre elas está o termo perfeição. O que para uns é suficiente para ser perfeito, para outros pode ser só o começo.

  É fato que nascemos para progredirmos, nos tornarmos pessoas melhores a cada dia e isso é exatamente sobre essa questão: a corrida pela perfeição.

  Há, por vezes, certas cobranças exageradas. Falhamos e logo nos criticamos, acusamo-nos de incapazes, incompetentes, criando em nós uma atmosfera prejudicial. Calma, tudo tem o seu tempo e a melhoria do espírito deve ser contínua, progressiva, mas degrau por degrau. Não se cobre tanto, apenas faça o seu melhor dentro das tuas limitações, dentro da tua atual capacidade.

  Já é um grande passo quando o homem decide parar de beber, quando a mulher decide parar de fumar, quando a criança desperta para a solidariedade, quando o idoso descobre que pode ser feliz mesmo na idade mais delicada da sua saúde.

  E como é bom quando melhoramos em algo. Vemos o resultado saltar as nossas vistas, as pessoas com quem convivemos se espantam por vezes e recebemos isso como um incentivo para prosseguirmos caminhando e evoluindo cada vez mais.

  A perfeição não é deste tempo, não é deste lugar, mas a busca por ela é. Caminhemos juntos, dando as mãos e ajudando uns aos outros a se tornarem pessoas melhores. Busquemos consolar mais do que ser consolados, amar mais do que ser amados, sorrir mais, abraçar mais, ouvir mais do que falar. Logo os efeitos de tal esforço surtirão e os frutos da semeadura no caminho do bem resultarão em muitas coisas boas para o futuro, nem sempre nesta caminhada, talvez noutra aproveitada pela eternidade do nosso espírito.

  Jesus perdoava a todos porque sabia que o momento de nos corrigirmos e mudarmos as atitudes e pensamentos é o "agora". Não se preocupe com o passado, com os erros já cometidos, mas aprende as lições positivas que tais situações lhe trouxeram e segue a partir de agora fazendo o bem em prol de todos com quem você convive diariamente.

  A perfeição é apenas um parâmetro que nos faz olhar mais longe para que compreendamos que ainda precisamos nos auto-conhecer, eliminar as imperfeições e ser sempre úteis para que a vida nos abençoe com as oportunidades de semearmos o bem maior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário