quinta-feira, 28 de maio de 2015

Livro: Luar Peregrino


Você gosta de ler assim como eu? Pois bem, nada melhor do que compartilharmos as boas leituras que conhecemos, não é mesmo ?

E é com esse intuito que damos início às indicações literárias, visando semear a doutrina espírita e incentivar a todos quanto a busca por conhecimento.

O primeiro livro a ser indicado chama-se: Luar Peregrino
Autor: Wilson Frungilo Jr.
Editora: Ide

O livro traz uma mescla da teoria espírita com a prática das boas ações. Rico em detalhes e análises de como podemos praticar a doutrina do bem no nosso dia a dia, o livro é tocante e emocionante ao mesmo tempo ao mostrar todo o apoio que Deus nos concede quando estamos inclinados a fazer o bem.

Luar, personagem que sofreu um acidente e perdeu sua memória, sai rumo ao norte buscando seguir as orientações do plano espiritual, tentando recuperar o seu passado e aproveitando para exercitar a caridade. Conhecerá pessoas incríveis e entenderá melhor na prática o que os ensinamentos espíritas nos pedem tanto para fazermos.

É uma lição maravilhosa atrás da outra. Mostra-nos como o bem atrai o bem e como o mau tenta nos desviar, mas somente alcança aqueles que sintonizam-se com tais práticas.

São 600 páginas de muitos bons exemplos e que valem cada minuto de leitura.

domingo, 24 de maio de 2015

Recado do coração

Por onde caminhar, deixe flores perfumadas. Se for falar, deposite amor nas palavras. A cada olhar, penetre a alma com a paz. E num sorriso, deixe a alegria que contagia. Bom domingo a todos!

sábado, 23 de maio de 2015

A Carne Vermelha e a Prática Mediúnica

  Recentemente compartilhei com vocês um vídeo com uma análise bem extremista sobre o tema "consumo de carne na nossa alimentação". Algumas pessoas me alertaram sobre o vídeo, me chamando a reflexão sobre ser realmente muito extremista aquele ponto de vista. Confesso que como vegetariano, não conseguia ver o que as pessoas me alertavam.

  Mas Deus sabe como nos auxiliar a evoluir e traz no momento certo as informações necessárias para o nosso melhor entendimento. Abaixo eu reproduzo um texto retirado de uma rede social, o qual traz a análise do ponto de vista dos ensinamentos espíritas e por conseguinte busca sempre o "EQUILÍBRIO" em tudo aquilo o que fazemos.

  Peço que cada um faça sua própria análise e que cada um tire suas próprias conclusões, pois não existe o certo e o errado senão sendo aquilo que nos faz bem ou mal.

"Carne Vermelha e Prática Mediúnica

  O ato de comer sempre foi motivo de discussão por parte de todos os povos. A abstenção de certos tipos de alimentos era considerada sagrada e tinha variadas finalidades de acordo com o povo, a época, a cultura e a região.

  É inegável que uma alimentação equilibrada é fundamental para a nossa saúde. E no tocante a mediunidade o tema “alimentação” deve ser analisado com maior atenção. Um médium consciente de suas responsabilidades e deveres deve ter uma vida equilibrada em todos os aspectos. Com o que come diuturnamente ele deve primar por este mesmo equilíbrio.

  Difundiu-se no movimento espírita uma “idéia” de que comer carne vermelha é proibido aos médiuns. Esta “teoria”, oriunda do “misticismo igrejeiro”, segundo José Herculano Pires, ou da contaminação por idéias do orientalismo mágico é um flagrante engano, do ponto de vista científico-doutrinário. Observemos que Kardec não deixou o tema sem a devida analise e estudo:

  A abstenção de certos alimentos, prescrita entre diversos povos, funda-se na razão?
“Tudo aquilo de que o homem se possa alimentar, sem prejuízo para a sua saúde, é permitido. Mas os legisladores puderam interditar alguns alimentos com uma finalidade útil. E para dar maior crédito às suas leis apresentaram-nas como provindas de Deus”.
O Livro dos Espíritos, questão nº 721

  A alimentação animal, para o homem, é contrária à lei natural?
“Na vossa constituição física, a carne nutre a carne, pois do contrário o homem perece. A lei de conservação impõe ao homem o dever de conservar as suas energias e a sua saúde para poder cumprir a lei do trabalho. Ele deve alimentar-se, portanto, segundo o exige a sua organização”.
O Livro dos Espíritos, questão nº 722

  A abstenção de alimentos animais ou outros, como expiação é meritória?
“Sim, se o homem se priva em favor dos outros, pois Deus não pode ver mortificação quando não há privação séria e útil. Eis porque dizemos que os que só se privam em aparência são hipócritas”.(Ver item 720.)
O Livro dos Espíritos, questão nº 724

  As privações voluntárias, com vistas a uma expiação igualmente voluntária, têm algum mérito aos olhos de Deus?
“Fazei o bem aos outros e tereis maior mérito”.
O Livro dos Espíritos, questão nº 720

  Os povos que levam ao excesso o escrúpulo no tocante à destruição dos animais têm mérito especial?
“É um excesso, num sentimento que em si mesmo é louvável, mas que se torna abusivo e cujo mérito acaba neutralizado por abusos de toda espécie. Eles têm mais temor supersticioso do que verdadeira bondade”.(grifo nosso)
O Livro dos Espíritos, questão nº 736

  ... Amai, pois, a vossa alma, mas cuidai também do corpo, instrumento da alma; desconhecer as necessidades que lhe são peculiares por força da própria natureza, é desconhecer as leis de Deus. Não o castigueis pelas faltas que o vosso livre arbítrio o fez cometer, e pelas quais ele é tão responsável como o cavalo mal dirigido o é, pelos acidentes que causa. Sereis por acaso mais perfeitos, se, martirizando o corpo, não vos tornardes menos egoístas, menos orgulhosos e mais caridosos? Não, a perfeição não está nisso, mas inteiramente nas reformas a que submeterdes o vosso Espírito. Dobrai-o, subjugai-o, humilhai-o, mortificai-o: é esse o meio de o tornar mais dócil à vontade de Deus, e o único que conduz à perfeição.
O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. V, Item 11

  ...Como era mais fácil observar a prática dos atos exteriores, do que se reformar moralmente, de lavar as mãos do que limpar o coração, os homens se iludiam a si mesmos, acreditando-se quites com a justiça de Deus, porque se habituavam a essas práticas e continuavam como eram, sem se modificarem.
O Evangelho Segundo o Espiritismo, CAP. VIII, Item 10

  Mas não foi só o codificador que deixou bem claro a visão espírita do tema. Vemos que outros orientadores encarnados e desencarnados também mantem um posicionamento coerente. vejamos o que nos orienta André Luiz:

  A alimentação, durante as horas que precedem o serviço de intercâmbio espiritual, será leve. Nada de empanturrar-se o companheiro com viandas desnecessárias. Estômago cheio, cérebro inábil. A digestão laboriosa consome grande parcela de energia, impedindo a função mais clara e mais ampla do pensamento, que exige segurança e leveza para exprimir-se nas atividades da desobsessão. Aconselháveis os pratos ligeiros e as quantidades mínimas, crendo-nos dispensados de qualquer anotação em torno da impropriedade do álcool, acrescendo observar que os amigos ainda necessitados do uso do fumo e da carne, do café e dos temperos excitantes, estão convidados a lhes reduzirem o uso, durante o dia determinado para a reunião, quando não lhes seja possível a abstenção total, compreendendo-se que a posição ideal será sempre a do participante dos trabalhos que transpõe a porta do templo sem quaisquer problemas alusivos à digestão.
André Luiz, Desobsessão, Cap.II.

  Em entrevista a Revista “0 Mensageiro” o estudioso da mediunidade e medium Raul Teixeira declara:

  Pergunta: Como deve ser a dieta alimentar dos médiuns nos dias de trabalho mediúnico?
  Raul Teixeira: A dieta alimentar dos médiuns deverá constituir-se daquilo que lhes possa atender às necessidades, sem descambar para os excessos ou tipos de alimentos que, por suas características, poderão provocar implicações digestivas, perturbando o trabalhador e, conseguintemente, os labores dos quais participe. Desse modo, torna-se viável uma alimentação normal, evitando-se os excessivos condimentos e gorduras que, independente das atividades mediúnicas, prejudicam bastante o funcionamento orgânico.

  Pergunta: A alimentação vegetariana será mais aconselhável para os médiuns em geral?
  Raul Teixeira: A questão da dieta alimentar é fundamentalmente de foro íntimo ou acatará a alguma necessidade de saúde, devidamente prescrita. Afora isto, para o médium verdadeiro não há a chamada alimentação ideal, embora recomende o bom senso que se utilize uma alimentação que lhe não sobrecarregue o organismo, principalmente nos dias de reunião mediúnica, a fim de que não seja perturbado por qualquer processo de conturbada digestão que, com certeza, lhe traria diversos inconvenientes. A alimentação não define, por si só, o potencial mediúnico dos médiuns que deverão dar muito maior validade à sua vida moral do que à comida obviamente. Algumas pessoas recomendam que não se comam carnes, nos dias de tarefa mediúnica, enquanto outras recomendam que não se deve tomar café ou chocolate, alegando problemas das toxinas, da cafeína, etc., esquecendose que deveremos manter uma alimentação mais frugal, a partir do período em que já não tenha tempo o organismo para uma digestão eficiente. É mais compreensível, e me parece mais lógico, que a pessoa coma no almoço o seu bife, se for o caso, ou tome seu cafezinho pela manhã, do que passar todo o dia atormentada pela vontade desses alimentos, sem conseguir retirar da cabeça o seu uso, deixando de concentrar-se na tarefa, em razão da ansiedade para chegar em casa, após a reunião, e comer ou beber aquilo de que tem vontade. Por outro lado, a resposta dos espíritos à questão 723 de O Livro dos Espíritos é bastante nítida a esse respeito, deixando o espírita bem à vontade para a necessária compreensão, até porque a alimentação vegetariana não indica nada sobre o caráter do vegetariano. Lembremo-nos que o “médium” Hitler era vegetariano e que o médium Francisco Cândido Xavier se alimenta com carne”.

  Não é no intuito de negar o quanto é saudavel o habito de se abster de carnes vermelhas, mas simplismente de mostrar que o fato de ingerirmos este tipo de alimento não nos impede, nem nos dasabilita da prática da mediunidade nos parametros seguros da codificação."

sexta-feira, 22 de maio de 2015

A Felicidade a que preço?


  Aprendemos com o Evangelho que devemos ser felizes pelas nossas ações no caminho do bem. Que nossa luz interior aumenta a medida em que praticamos a caridade por meio da doação de amor. Que somos nós quem nos fazemos felizes e não os outros. Mas será que temos agido assim?

  Vamos analisar o que nos faz feliz hoje:

  1º Exemplo: me recordo de uma banda do meu período de adolescência que fez muito sucesso e muitos diziam que o fizera por tocar músicas alegres e irreverentes. Quem se lembra dos Mamonas Assassinas? Pois bem, vamos tomar emprestado um pequeno trecho de uma de suas músicas e que cita o seguinte: "ser corno, ou não ser, eis a minha indagação", aproveitando já vamos puxar um segundo trecho: "sou corno, mas sou feliz".

  Bom, é fato que muitas pessoas cantarolavam esta música e se alegravam com a letra, com o ritmo e até com as fantasias dos integrantes da banda. Mas esta música fala de uma pessoa que foi traída e será que essa pessoa que sofreu a traição está feliz? Acredito que não, até porque a infidelidade é algo que tem aumentado nos dias atuais, muitas pessoas estão se deixando levar pela atração física e esquecendo-se de cultivar o amor.

  Onde quero chegar então? Bom, se a pessoa que foi traída pelo seu cônjuge não está feliz, podendo estar num estado depressivo até, ao ouvir essa música e notar que as pessoas ao seu redor a cantam e zombam da situação, mesmo que não seja diretamente para ela, essa pessoa pode mergulhar mais ainda no processo depressivo, se agravando com pensamentos de suicídio.

  Sendo Jesus o modelo e guia de toda a humanidade em sua conduta e comportamento, rememoremos os atos do mestre e questionemos: Jesus se alegria com uma música que zomba do sofrimento alheio? Interessante observarmos que quem se alegrou com essa música e muitas outras as quais se baseiam na dor do seu semelhante, está buscando a felicidade para si mas para isso precisa que exista o sofrimento de outrem. Será isso certo?

  2º Exemplo: sou fanático por futebol, não perco um jogo do meu time, vamos adotar aqui que sou torcedor do time X e que o maior rival é o Y. Muito bem, sabemos que o esporte é importantíssimo para o desenvolvimento físico e para a manutenção da saúde, fato confirmado pela ciência, no entanto, se o meu time vence, eu fico feliz, até demais, mas em contrapartida o time do adversário perdeu e o torcedor do time Y ficará muito triste, alguns chegam até pelo fanatismo a brigar com a família, a descontar sua raiva naqueles que o amam e tornam suas vidas um verdadeiro inferno por causa de atitudes contrárias a lei de amor.

  Mais uma vez vemos um caso em que a pessoa torcedora do time X se felicita às custas da tristeza do torcedor do time Y. Quer dizer então que minha felicidade depende do sofrimento de outra pessoa? Claro que não, sua felicidade depende somente de você e é você quem escolhe onde a encontrará, que tipo de conduta e atitudes desenvolverá para conquistá-la. Hoje, nós caminhamos por vias tortas porque escolhemos ser felizes com o sofrimento alheio, mas a medida em que estudamos e evoluímos, compreendemos que é possível ser feliz sem precisarmos prejudicar o nosso semelhante.

  Eu posso ser feliz fazendo o bem a quem já está sofrendo, ao invés de ser feliz fazendo o outro sofrer. É tudo uma questão de escolha. Se eu deixar de me sentir afim com esse tipo de conteúdo, obviamente eu estarei me esforçando para seguir os ensinamentos de Jesus. Por exemplo, eu posso praticar esportes, mas não preciso zombar, ofender, incitar o ódio entre torcedores, como muitos fazem naquelas piadinhas nas quais chegam até a falar que o torcedor do time tal é bambi, o de outro é ladrão, o de outro é gambá, o outro é porco e assim vai. Eu posso cantarolar músicas com letras e conteúdos saudáveis e educativos. Aprender a respeitar, a viver sem ofender, a compreender que é apenas uma oportunidade de convivermos em sociedade com harmonia, é ai que entra o Cristianismo nos ensinando a conduta como filhos de Deus.

  Estes exemplos foram apenas para nossa reflexão, por favor não se sinta ofendido e nem adote o texto para si, apenas reflita sobre como você tem se comportado e se sua felicidade não está sendo conquistada com base na tristeza do seu próximo.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Pequenas tormentas

  Nenhum mal que sofremos é por acaso.

  Sendo Deus justo e soberano, tudo o que vivenciamos é para o nosso bem, mesmo que nesse instante nos pareça difícil entender e aceitar a situação em que nos encontramos.

  Confie em Deus e observe com cuidado a lição preciosa que até a pior das dificuldades nos traz para nos tornarmos mais humildes, bondosos e puros de coração.

terça-feira, 19 de maio de 2015

Capacidades

É incrível a capacidade que temos de superarmos os obstáculos, vencermos a nós mesmos e progredirmos em todos os sentidos, mas a melhor de todas é a capacidade de fazermos tudo isso de mãos dadas uns com os outros! Juntos somos mais fortes, pois o amor supera tudo.

terça-feira, 12 de maio de 2015

O equilíbrio


  Dominados somos pela vontade de crescer, evoluir e superar as dificuldades. Impulsionados somos pela vida a conquistarmos cada vez mais aquilo que ansiamos ter. Logo, somos soterrados pelo excesso de nossas conquistas e tudo aquilo que tanto almejávamos vira um transtorno.

  Será que o sentido da vida está em viver para trabalhar? Acumular a cada dia mais alimentos, roupas, equipamentos eletrônicos, carros, casas... Onde vamos parar com tudo isso?

  Cedo ou tarde, melhor dizendo, no momento certo, a vida irá nos chamar a uma reflexão. Seja por nos tomar tudo o que tínhamos, seja por nos jogar na cama enfermos. É o momento de frear os nossos impulsos e observarmos melhor a situação, por um ângulo jamais observado antes.

  Talvez compreendamos melhor assim, quando um safanão nos põe no lugar, tirando nossa consciência perdida lá na lua, fazendo nossos pés tocarem novamente o chão. É a vida nos chamando à razão.

  Tudo o que existe, seja material ou espiritual, necessita do equilíbrio. Se pendermos demais para um lado, logo teremos problemas a fim de que a balança se faça pesar para o sentido oposto e nos force a compensar o que deixamos por fazer.

  E se compreendermos bem a lição, então a tormenta passará e tudo voltará ao seu curso natural, pois o equilíbrio estará sendo restaurado. Mas se voltarmos a nos exceder, então seremos novamente cobrados pelos excessos cometidos até o dia em que aprendamos a viver em harmonia com o universo.

  Tudo aqui está estabelecido por leis, leis estas que mantém o equilíbrio. Se violadas, haverão consequências e somente aquele que a violou é que poderá agir para a compensação do erro cometido.

  Como compreender se estamos nos excedendo em algo? Primeiro, conhece-te a ti mesmo. Observa tuas atitudes e teus pensamentos, entenda os teus limites e os do teu próximo. Não é difícil. Acaso não sabemos o limite de nossa capacidade de comermos? Não sabemos o tempo máximo que conseguimos permanecer debaixo d'água? Eis que surge então uma segunda opção, a experiência. É pelos erros e acertos que aprendemos a viver e a respeitar os limites e as leis que regem o universo criado por Deus. Tudo tem um propósito, nada é criado em vão.

  Portanto amigo querido, reavalia o teu caminho e observa a balança do equilíbrio para que não sofras mais tarde pela tua invigilância e pelos teus excessos cometidos.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Pedindo comida a estranhos - (legendas em português)

Como é difícil para nós praticarmos o que Jesus ensinou. Se há aproveitadores da boa fé, sim há, mas há sempre os que realmente precisam de ajuda. No final, o que vale não é o que se dá, nem a quem se dá, mas sim a intenção (sentimento) que se coloca no gesto.


Não se esqueça de ativar a legenda para melhor compreender o vídeo.


segunda-feira, 4 de maio de 2015

O sol da felicidade (autor: Igor Carvalho)



Há quem diga que quando o dia se inicia sem o sol, será um dia triste. Será mesmo?

É verdade que a luz do sol e o seu calor nos excita ao ponto de nos alegrarmos e sentirmo-nos mais dispostos, mas há um grande equívoco em acharmos que nossa felicidade depende da condição climática. Para tal, vamos refletir:

A pobreza causa tristeza?

Pode causar, mas não é fator determinante para ser triste, haja visto que há pobres felizez.

A dor causa tristeza?

Pode causar, uma vez que nos impede de realizarmos algumas ações que o faríamos em plena saúde, mas também há doentes felizes.

A solidão causa tristeza?

Pode causar, pois não se tem com quem compartilhar a alegria naquele momento, veja bem, naquele momento, pois não existe solidão eterna, uma vez que o mundo é habitado por bilhões de espíritos encarnados e portanto, há pessoas felizes.

Voltando então ao primeiro questionamento, um dia sem sol é um dia triste?

Certamente que não! Pode não ser tão bonito aos olhos de alguns, mas o sol é a nossa luz secundária. A primeira luz é a que carregamos dentro de nós, sim, é essa luz que brilha em nosso ser que gera a verdadeira felicidade. Todo aquele que buscar a felicidade nas coisas exteriores estará sempre sujeito a oscilações de humor, mas todo aquele que reconhecer sua própria luz, esse será feliz independente do que lhe ocorrer na vida física, pois a felicidade é um estado, uma escolha que cada um de nós faz.

Eu escolho ser feliz, e você?