terça-feira, 12 de maio de 2015

O equilíbrio


  Dominados somos pela vontade de crescer, evoluir e superar as dificuldades. Impulsionados somos pela vida a conquistarmos cada vez mais aquilo que ansiamos ter. Logo, somos soterrados pelo excesso de nossas conquistas e tudo aquilo que tanto almejávamos vira um transtorno.

  Será que o sentido da vida está em viver para trabalhar? Acumular a cada dia mais alimentos, roupas, equipamentos eletrônicos, carros, casas... Onde vamos parar com tudo isso?

  Cedo ou tarde, melhor dizendo, no momento certo, a vida irá nos chamar a uma reflexão. Seja por nos tomar tudo o que tínhamos, seja por nos jogar na cama enfermos. É o momento de frear os nossos impulsos e observarmos melhor a situação, por um ângulo jamais observado antes.

  Talvez compreendamos melhor assim, quando um safanão nos põe no lugar, tirando nossa consciência perdida lá na lua, fazendo nossos pés tocarem novamente o chão. É a vida nos chamando à razão.

  Tudo o que existe, seja material ou espiritual, necessita do equilíbrio. Se pendermos demais para um lado, logo teremos problemas a fim de que a balança se faça pesar para o sentido oposto e nos force a compensar o que deixamos por fazer.

  E se compreendermos bem a lição, então a tormenta passará e tudo voltará ao seu curso natural, pois o equilíbrio estará sendo restaurado. Mas se voltarmos a nos exceder, então seremos novamente cobrados pelos excessos cometidos até o dia em que aprendamos a viver em harmonia com o universo.

  Tudo aqui está estabelecido por leis, leis estas que mantém o equilíbrio. Se violadas, haverão consequências e somente aquele que a violou é que poderá agir para a compensação do erro cometido.

  Como compreender se estamos nos excedendo em algo? Primeiro, conhece-te a ti mesmo. Observa tuas atitudes e teus pensamentos, entenda os teus limites e os do teu próximo. Não é difícil. Acaso não sabemos o limite de nossa capacidade de comermos? Não sabemos o tempo máximo que conseguimos permanecer debaixo d'água? Eis que surge então uma segunda opção, a experiência. É pelos erros e acertos que aprendemos a viver e a respeitar os limites e as leis que regem o universo criado por Deus. Tudo tem um propósito, nada é criado em vão.

  Portanto amigo querido, reavalia o teu caminho e observa a balança do equilíbrio para que não sofras mais tarde pela tua invigilância e pelos teus excessos cometidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário