quinta-feira, 4 de junho de 2015

Livro: A Gruta das Orquídeas


  Seguindo com as nossas dicas para leituras, esta semana temos o título abaixo:
Título: A Gruta das Orquídeas
Piscografia de: Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho
Ditado pelo espírito: Antônio Carlos

  Consagrada pela obra "Violetas na Janela", a médium Vera Lúcia Marinzeck traz um novo título agora com um estudo de nível básico-intermediário sobre a doutrina espírita, onde encontraremos explicações interessantes sobre crimes hediondos contra crianças. Até aonde podemos compreender as reais causas destes crimes? Que mistério pode estar por detrás deles?

  Na obra supra-citada, teremos menções de termos muitas vezes mal compreendidos pela nossa própria ignorância, tais como magia, feitiçaria, obsessão, etc. Qual é a visão espírita sobre a feitiçaria? Sofremos realmente se alguém fizer feitiços a nós?

  Uma obra interessante e que envolve muitas pessoas de uma pacata cidade do interior na tentativa de se desvendar os crimes que acontecem na chamada Gruta das Orquídeas.

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Anjo da Guarda: espíritos protetores, espíritos familiares e espíritos simpáticos.


  No passado, tínhamos o conceito de "Anjo da Guarda" dado pelo Catolicismo representando um ser enviado por Deus para nos proteger, nos avisar do perigo, tal como um servo que cuida de um amo mimado e imprudente. Uma visão que hoje foi derrubada graças a Doutrina Espírita, pois ela esclarece a função que cada indivíduo tem, seja encarnado ou desencarnado, impedindo que culpemos os outros pelos nossos erros, nos tornando sempre responsáveis pelas escolhas que fazemos. Segundo a Doutrina Espírita, o nosso "anjo da guarda" é na verdade um mensageiro do bem, que nos alerta e nos intui ao bom caminho, mas que não nos impede de errarmos, pois sabe que se não aprendemos pelo amor, aprenderemos pela dor.

  Podemos então dividir, segundo o livro "O Livro dos Espíritos", o anjo da guarda em ao menos 3 classes para estudo:

  1º- Protetor espiritual: é um espírito mais elevado moralmente e intelectualmente que assume a responsabilidade de nos acompanhar na atual encarnação. Ele não impede que nós erremos, mas procura sempre nos intuir para o caminho do bem. É necessário que seja mais evoluído, mesmo que apenas um pouco, uma vez que necessita de qualidades que lhe permita nos assistir em diversas dificuldades. Apesar de realizar muitas tarefas em outros locais e com outras pessoas além de nos acompanhar, este espírito mesmo estando longe de nós estará nos assistindo, pois ele mantém sua vigilância por meio da sintonia que tem conosco. Quando isso não for possível, é comum que um espírito de capacidade equivalente tome o seu lugar temporariamente, a fim de que não nos falte o socorro necessário. Infelizmente é comum nós nos deixarmos entrar em vibrações mais baixas, o que acaba por afastar este irmão que nos protege, mas isso não o impede de aguardar o nosso retorno e por isso mesmo ele nos incentiva sempre a elevarmos os pensamentos e a orarmos para nos mantermos em sintonia com ele.

  2º- Espíritos familiares: são espíritos que já estiveram encarnados na mesma família que nós. Não necessariamente são moralmente ou intelectualmente mais evoluídos, mas costumam estar ligados conosco pelos sentimentos que temos em comum. Não possuem a obrigação de nos socorrer, mas se o fazem, é porque têm condições e porque o desejam, pois quando não têm condições estes chamam espíritos de ordem mais elevadas para nos socorrerem. Podem estar incumbidos da tarefa de nos acompanhar para aprenderem algo e com isso se desenvolverem.

  3º- Espíritos simpáticos: tudo o que fazemos e pensamos gera vibrações que atraem espíritos diretamente afins a estas. Se eu bebo, atrairei espíritos que gostam de beber. Se eu faço caridade, atrairei bons espíritos que gostam de fazer o bem. Essa classe de espíritos não está presa a nós e permanecerá ao nosso lado enquanto houver afinidade. Uma vez mudada a postura, este poderá ir buscar por outro encarnado que lhe atraia, dando espaço para um outro espírito afim com a nova vibração que assumimos. Não são espíritos maus propriamente dito, mas também não possuem necessariamente autorização para nos acompanharem. Somente o fazem porque Deus nos dá o livre-arbítrio e quando houver condição, os bons espíritos podem oferecer-lhe estudos e trabalhos para que este volte a evoluir.

  Como podem ver, estas são apenas algumas classes das muitas possíveis de espíritos que existem. O fato é que, podemos observar que a melhor que se encaixa no conceito de "anjo da guarda" é a classe dos espíritos protetores. Eles se preparam muito para nos auxiliar, o fazem com muito amor e dedicação, respeitam o nosso livre-arbítrio e muitas vezes sofrem com nossos erros, mas não desanimam, torcem pelo nosso sucesso. Nas nossas aflições, nos intuem a orarmos para que possamos melhorar nossa faixa vibracional e assim sermos capazes de receber o auxílio. São verdadeiros irmãos e amigos espirituais, merecem nosso carinho e consideração, porque fazem por nós aquilo que Jesus mais pediu que nós fizéssemos, amar.

Essas explicações não encerram o assunto, tão pouco são a única verdade sobre as classes dos espíritos, mas elucidam muitos dos que nunca ouviram falar no tema. Procurei usar para isso uma linguagem mais simples.

  Para melhor compreensão destes ensinamentos, é prudente que se faça a leitura do livro dos Espíritos, buscando pelo capítulo 9 no subtítulo: Anjo da Guarda: espíritos protetores, espíritos familiares e espíritos simpáticos.

  Se você tem uma opinião a acrescentar sobre o tema, fique a vontade para expô-la, somente peço que deixe a fonte de onde obteve tal informação para que todos possamos consultá-la e aprimorarmos juntos o nosso conhecimento.